Mentirinhas #734 - Mentirinhas

28 de novembro, 2014 Postado em: Mentirinhas

mentirinhas_723

No discurso é sempre mais bonito…

comentários

20 Comentários

  • Rodrigo Amado disse:

    Brancos, sempre sendo acusados de serem racistas.

    • Fábio Coala disse:

      O cara da tirinha não é racista, só não parou para analisar o mundo que o rodeia. Fui criado num bairro pobre, na boca da favela, onde a maioria dos meus amigos eram negros/mestiços. Hoje moro num bairro nobre onde, infelizmente, é bem mais difícil encontrar pessoas negras em igual situação. Os amigos negros que tenho, são da época de infância/adolescência e da época de bombeiro. É uma triste constatação. Até nos eventos de quadrinhos temos uma minoria negra dividindo as mesas. Como disse, o cara da tirinha não é racista, racista era o tatatatataravô dele (e o meu por parte de mãe) que achava que os negros eram seres inferiores, quase bichos e os tratavam como tal. Racista eram os brancos, azuis, verdes que por mais de 300 anos usaram os negros como escravos e depois disso os libertaram para viverem num mundo de iguais condições com os “coloridos”. Mais uma vez fiz uma tirinha pra mim, pra me abrir os olhos e me lembrar do que acontece num raio de visão um pouco mais amplo e acabei atingindo alguém que não tem nada a ver com o que retratei. Desculpe, Rodrigo.

    • Ronaldo disse:

      Embora ele não fosse racista, ele tentou minimizar um problema que ele desconhece. O que é também um problema.

    • svgeditor disse:

      As coisas não são tão simples quanto parecem, eu vejo as pessoas falando que não há negros aqui ou ali como se fosse culpa do racismo, existe alguma lei que impessa o negro de ascender socialmente? Não.
      O que existe é um passado, mas quantos brancos pobres existem? o mesmo pesa sobre eles, o racismo é
      uma merda, mas quase sempre é uma merda de mão dupla (como nos EUA, onde os negros odeiam os brancos até mais que os brancos odeiam os negros, vejam isso http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/?p=17836).Podemos dizer que no Brasil as coisas são diferentes, não há tanto ódio, por enquanto,temos lutado para cria-lo.

    • Pedro Garcez e Silva disse:

      svgeditor, ninguém nega que há brancos pobres, mas tira o olho do umbigo um pouquinho. Quantos mendigos brancos tem comparados aos negros? Qual a porcentagem de brancos na favela e no condomínio de luxo? A porcentagem de pessoas brancas e negras é igual nas escolas particulares e públicas?

      Não há nenhuma lei que impeça ninguém de ser bem sucedido mas temos todos as mesmas chances? Todos nós carregamos uma base racista devido a forma como nossa sociedade foi construida. Preto é mendigo, ladrão e quando é honesto é o cara que levanta muro e passa tinta na parede. Branco é o cheirosinho que dirige carrão. a gente ainda tem essas “normas” sociais.

      Sim, o racismo é segregacionista. Eu estudo numa cidade onde a comunidade negra tem quase repulsa a gente branca. Se você é mulher negra, tem que namorar um cara negro. Se você é branco e conversa com uma negra, vem 15 caras te falar pra cair fora. Mas isso é bem menos comum do que o inverso.

      E essa conta do carinha da (urgh) Veja é facilmente explicada. Por muito tempo o Estados Unidos foi MUITO mais segregacionista do que aqui. A primeira aluna negra a frequentar escolas brancas lá teve que ir escoltada pela polícia durante um ano inteiro. Lá é rara a cidade que não tenha o
      “bairro negro” e a criminalidade lá é alta. Essa separação e raiva nutrida por tanto tempo faz querer a revanche, por isso qualquer branco que eles tenham oportunidade eles vão querer descarregar esse ódio. Aqui podemos ter menos ódio e racismo menos evidente que lá, mas temos uma cota bem alta, não se engane.

    • Raphinha disse:

      Opa, quer dizer que não temos as mesmas chances? Quer dizer que aluno de escola pública é menos capaz? Ta chamando professor de escola pública de mal profissional? Anos estudando e percebi que não tem essa de cor, ou escola pública ou privada. Quem quer aprender aprende em qualquer lugar e entra em qualquer universidade sem ficar de chororo por causa da cor. E não sou branco.

  • Lita disse:

    Nossa, bobagem isso de racismo!!! Tenho vários negros quase da família…. a empregada (ai, esqueci o nome dela agora), o seu João da portaria, o entregador de jornal… trato todos como se fossem pessoas normais!!! Minha filha já até trouxe uma escurinha para almoçar aqui em casa! No Brasil não existe racismo. Isso é invenção para desmoralizar este país cheio de riquezas naturais! Agora dá licença que eu tenho que guardar o celular porque estão vindo uns negrinhos com cara de bandidos ali. Ai que medo!!!!

  • Não precisa ir muito longe, se você trabalha em um escritório olhe em volta e veja quantos negros tem perto de você, se você estuda em uma faculdade particular veja quantos negros tem na sua sala de aula… Acho que tudo tem dois lados, vitimização é um saco e tem muita gente que se aproveita dela pra “se dar bem”, mas sim, existe racismo no Brasil!!

  • Carlos V disse:

    O retratado na tirinha é uma realidade, Coala.
    Só não vê quem não quer.
    A minha situação é similar a narrado por ti.

    Fica uma sugestão para evitar ofender qualquer pessoa mais sensível em quadrinhos futuros: no lugar de uma pessoa branca, coloca essa pessoa como um(a) alien assexuado(a). Pronto. (Óh aí um novo personagem surgindo – quero royalties hehehe)
    Ah, eu seria classificado como “branco”, então, não estou implicando com os brancos por ser de outra “etnia”, tá?! afffffffffff
    Na realidade, ia sugerir colocar a pessoa pintada nas cores do arco-íris (aí engloba todos), mas me lembrei que é a “cor” que simboliza o movimento homossexual, e isso podia fazer com que surgisse algum achando que estava sendo chamado de racista também… realmente, como já li em algum alugar, alguém comentando (desculpe, não me lembro quem era) está ficando difícil fazer quadrinhos atualmente hehehehe
    não desista… a mensagem foi passada, e nem todos tem a mesma visão sobre as coisas
    😉

  • Marechal disse:

    Para não haver racismo, basta não haver discriminação: você não precisa estar numa boate gay para não ser homofóbico (nem é obrigado a participar da parada do orgulho GLBTS, apesar de ser uma atividade divertida ).

  • Thales Dias disse:

    “No discurso é sempre mais bonito…” Quem? O indiano?

  • Sylvia Tamie disse:

    Não faz muito tempo eu comentei que achava o Diogo Nogueira um homem lindo, e me surpreendi com a resposta: “Mas você é branca…”

    Acho que a situação que o Coala retratou não se aplica só à discriminação racial. É como o Bolsonaro dizendo que não tem nada contra gays, que ele tem vários amigos gays, como os cabeleireiros do salão que ele frequenta.

  • noistiramesmo disse:

    É como aquela antiga frase né: “tem duas coisas que eu odeio, uma é preconceito…e a outra é preto.”

  • Jônatas disse:

    Mesmo porque os indianos odeiam negros…

  • Bruno disse:

    Eita! Temas polêmicos sempre resultam nisso. Minha opinião é que todos somos diferentes, diferença essa caracterizada por alguma propriedade em particular, porém, devemos ter direitos iguais. Tentar “consertar” as coisas forçadamente só piora as coisas. Para explicar melhor só escrevendo muito, mas não acho que seja o foco.

  • Maressa Kristorm disse:

    O tema é tão espinhoso e complexo que não consigo falar resumidamente.

    1-Consertar as coisas “forçosamente”:
    Nem todo mundo lembra, mas até 1997 não era proibido andar de carro sem cinto.
    Milhares de pessoas morriam em acidentes de forma absolutamente ridícula e havia campanhas enormes na TV e em jornais para o uso do cinto, mas o costume era não usar e não adiantava campanha educativa.
    Bastou o governo consertar forçosamente com multas que as pessoas mesmo não querendo passaram a usar e milhares, talvez milhões de vidas tenham sido salvas de nesses 17 anos.

    O fato é que há o costume racista, daquele que as pessoas estão tão acostumadas que acham normal, assim como era normal dirigir sem cinto. Se educação não ajuda, forçar um pouquinho é a única solução que sobra.

    2-Todos iguais, todos iguais. Mas uns mais iguais que outros…
    Infelizmente existe sim preconceito.
    A sogra de um amigo não o aceitou em casa. Isso mesmo, simplesmente não o deixou entrar em casa.
    Agora, a neta (de outro filho) apareceu com um namorado negro em casa e ela começou a chorar perguntando o que fez para merecer aquilo. Estamos falando de 2014, gente. Acham que essa sogra, que é sócia de empresa, contrata negros? Ou pode até contratar nos cargos baixos, mas acha que eles tem chances de subirem? E ela tá lá, todo domingo na Igreja, ouvindo o sermão do pastor sobre como todos são o próximo e deve ser uma das que dizem que negro não melhora por que não quer.

    O fato é que há ainda pessoas que não querem ser atendidas por um médico negro, que não contratariam um funcionário negro, ou sei lá o quê. E são muitas. Nem todo mundo que diz que racismo não existe é racista, mas acreditar que tudo é mimimi de negros só ajuda quem é racista a continuar a deiscriminar.

    3-Ninguém tem vantagens por ser branco, o que vale é a pessoa!
    Imaginem, encontraram um mendigo negro. Normal, negros são mendigos mesmo e é errado tirar dinheiro de nossos impostos para dar cursos profissionalizantes pra esse cara, que é mendigo por que quer. Aí encontram um mendigo loiro e de olhos azuis. Vira capa de jornal, dá entrevistas, logo acham aquilo um absurdo e contratam ele para agencias de beleza e o escambau.

    Não é possível não ver que negros tem menos oportunidades já por serem negros. É como começar uma corrida já uns 10 passos atrás dos outros competidores, descalço e sem treinamento. Claro que há os que conseguem, mas seria como vc ter que se esforçar 10 vezes mais para chegar no mesmo lugar de uma pessoa que se esforçou medianamente.

    4-Brancos Racistas
    O primeiro comentário do post vem de uma idéia errada. É como se cada vez que uma pessoa (branca, negra, índia ou asiática) dissesse que há racismo no Brasil estivéssemos culpando cada pessoa branca por isso, o que é mentira. Existe racismo e nem todo branco é culpado, é uma minoria que ativamente é racista, mas existe aquela imensa maioria que insiste em se achar prejudicada ou ter direitos suprimidos quando se tenta igualar as coisas ou simplesmente denunciar o racismo.

    Não é por que um problema não te afeta que ele não existe ou que se deve fazer pouco dele e de quem sofre com ele.

    Uma sociedade menos dividida é boa para todos.

    Bem, acho que é isso. Amoces!

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*