Mentirinhas #574 - Mentirinhas

30 de janeiro, 2014 Postado em: Mentirinhas

mentirinhas_565b

Paissarinho.

 

comentários

26 Comentários

  • Preto Pobre disse:

    Essa história me da certa agonia sabe… Meu pai era um negão forte. Negão nanquim. Negão daqueles que eram monocromáticos. Uma das pessoas mais justas que eu conheci.

    A gente era pobre e nada vinha de mão beijada. Lembro que quando eramos pequenos, sentávamos em latões de tinta vazios pois não tínhamos banco nem cadeira em casa. Meu pai trabalhava em estaleiro fazendo pintura em navios e o salário tinha que colocar comida em casa para 4 bocas. Quando fiz 12 anos ele falou: Meu filho, tu não vai ter nunca a vida que eu tive, mas não vou te dar o que vc quer só pq vc me pede. Vai a luta e conquiste seus desejos. Falei com meu padrinho e fui trabalhar com ele. Eu com 12 anos viajava sozinho do RJ para SP, as vezes de caminhão… Ganhava meio salário mínimo por mês. A alegria do primeiro salário… A alegria de pagar a primeira conta de luz… Meu pai não gostou, falou q era meu dinheiro e as contas eram responsabilidade dele. Ai eu falei: Pai, somos uma família… Deixa eu pagar pelo menos uma conta. Dali pra frente estudei que nem um louco (na escola, não tinha tempo de estudar em casa) e nunca fiquei nem de recuperação. Trabalhei em tudo que vcs imaginarem (dentro da lei). Comprei até uma lavadoura de roupa (usada) pra minha mãe (que demorou 3 semanas para aprender a usar)…

    Hoje vejo algumas crianças falarem: Paiê, quero um jogo novo de PS3 que saiu ontem… AI o pai vai, compra e o bruguelo fala: Achei que era melhorzinho, não gostei… Dá um aperto no coração… Será que estamos criando pequenos capitalistas que não valorizam a dificuldade de se ganhar um trocado? Mesmo com grana sobrando, mesmo com a máxima: “Tenho dinheiro para satisfazer meu filho, se vc é pobre, problema seu”, eu procuro mostrar pro pretinho Jr que graças a Deus fazemos parte de uma minoria muito pequena mesmo de pessoas que têm o privilégio de ter uma vida mediana.

    Isso ai de cima que contei é verdade. Não é lenda do PP, eu fui bem pobre na infância sim. Cansei de brincar com casca de laranja por falta de opção. Só acho que ninguém precisa provar a pobreza para dar valor a algo. Me entendem?

    • Rui disse:

      Pois é, Preto Pobre… Agora você me tocou fundo…. É muito importante, ensinar as crianças a verem as outras pessoas, como iguais a si próprias. Só assim, há respeito e dignidade pelas outras pessoas. A religião é uma boa ajuda.

    • jEGUE245 disse:

      P. Pobre, quem passou por isso sabe o que vale ter pelo menos o almoço e a janta em casa, mais a maioria das pessoas que passaram por isso, se conseguiram vencer, não conseguem passar o sentido da vitória para seus filhos, e na maioria das vezes cria é um bando de criança medíocre e orgulhosa.
      Como meu pai dizia, pobre é na verdade um estado seu, muita gente tem dinheiro e pobre de espírito.
      Leio e vejo a muito tempo o COALA e seus depoimentos e dessa vez foi muito legal, parabéns por está tentando passar para o “P. pobrinho Junior” o valor correto da vida.

    • Hebert disse:

      Capitalista (eu sou!!) valorizam dinheiro, suor, trabalho duro e pesado. Eu comecei a trabalhar desde muito novo ajudando uma tia a lavar os prédios em que ela trabalhava. Com 13 virei garçom em uma sorveteria e trabalhava todo dia das 5 à 1 da manhã… e tinha que acordar cedo pra ir pra escola. Nunca reprovei ou tirei nota baixa!! Trabalhei em tudo o que possa se imaginar (lícito, obviamente).
      E garanto à você: eu sou um capitalista ferrenho, defensor da livre iniciativa e do conservadorismo.
      Quem acha que dinheiro cresce em árvore é socialista/comunista e esse bicho estranho mas tão perigoso quanto conhecido como social-democrata.
      É filhinho de papai criado à pera com leite, com consciência social, e que cresce com vergonha de ser rico, mas não deixa de lado de esbanjar o dinheiro que o papai (ou o avô) ganhou suando sangue!
      Coala, meus parabéns!! Definitivamente, sua melhor tirinha!!

    • Preto Pobre disse:

      Rui,

      Vc tocou em religião, um tema que gera sempre mimimis e polêmicas sem fim. Não sou fã de abordar este tema, mas deixa eu falar uma coisa bem rapidinho:

      Sou contra Religião. Não, não sou ateu. Eu acredito em Deus e ele acredita em mim. Mas não aceito religião.

      Rui, pra mim Deus não está em um templo de pedra e madeira erguido pelo homem. Pq devo crer que um templo é a “casa de Deus”? Deus tá em todo lugar… Deus está aonde meu coração está. Sou adepto de ter religiosidade, mas não religião. Não vou seguir dogmas criados pelo homem para politicar os passos de seus semelhantes. Deus nos deu liberdade e a religião um caminho a seguir, mas olha… Eu prefiro seguir meu caminho livre, de acordo com o que meu caráter que minha mente, meu coração e minha honra decidirem. Se vai ter céu ou inferno depois? Não vou faze algo pq quero uma recompensa póstuma ou viver morrendo de medo de torrar no tacho do cramulhão. Vou viver da melhor forma com meus semelhantes. Desculpe viu? Respeito d+ quem segue qualquer religião, mas minha realidade é um pouquinho diferente.

    • Marechal disse:

      Concordo com o PP no tópico da religião, e parabenizo-o pela força de vontade e caráter demonstrados em seus comentários (a história de hj é semelhante a de muitos, mas nem todos seguem o bom caminho). Hj o PP tá sério… valeu pelo exemplo que passa, e por dar continuidade na próxima geração PP.
      E Deus realmente não está em um templo, está no coração e nas atitudes. Deus está contigo, PP.

    • Demetrio disse:

      cara, lembro q ganhava uma mesada de 50 reais por mes e q juntava meses para comprar 1 jogo do nintendo64, quando completei uns 10 jogos ate cheguei a abrir uma mini locadora em ksa, daquelas de alugar hora pra jogar, ate q dava gente xD
      Ate hoje quando vo comprar algo economizo bastante pra n ficar me endividando e receber desconto, tipo meu pc q montei por 7 mil (completo, do monitor, teclado, cpu, etc), juntei suado durante 1 ano a partir do q sobrava por mes, e ainda peguei um descontão de mil pela kabum pq foi a vista.
      O que quero dizer é basicamente o que vc disse, hoje as crianças tem muitos direitos, mas não tem deveres, não posso dizer que tive uma vida pesada como a sua, mas sei a importância de se trabalhar na infância, isso gera senso de responsabilidade na criança. logico que tambem n é pra exagerar, trabalho infantil como a mídia bota que é aquela exploração é uma coisa, a criança começar ajudar em determinados negócios é outra completamente diferente.

    • Anderson Bernardo disse:

      Hebert, quanto tempo de sua vida vc perdeu trabalhando? Vale a pena jogar a sua vida fora pra encher o bolso de um porco capitalista e torrar o seu dinheiro em bens que valem mais do que custam e pagar impostos para um governo que gasta mais do que arrecada?

    • emanuel XP disse:

      Também fui criado assim, tempos difíceis geram pessoas fortes. Não que eu me considere forte, mas treinamento eu tive. Vejo que pessoas que tiveram de tudo acabam entrando em panico em situações imprevistas, coisas que não acontecem com pessoas que já passaram aperto.

  • Valquíria disse:

    Coala quase me matou do coração com o primeiro quadrinho! Olhei e pensei: “Ah meu Deus, lá vem história triste…” Achei que era um pai suicida! Ainda bem que não era, se bem que alguns pais só faltam morrer de tanto trabalhar pra encher as crianças de coisas que elas não precisam…

  • Marechal disse:

    O pior é que é assim que essas crias nos vêem: provedores de seus luxos e caprichos. Mas a gente só vê depois que, separado, pagando quase metade do que ganha de pensão para os pequenos abutres (os meus nunca foram “pequenos”), as coisas só vem te visitar ou só te ligam para pedir dinheiro, presente, paga isso, paga aquilo.
    E não dão o menor valor para tudo o que se faz ou se dá a eles.
    Acho que errei em alguma coisa lá atrás (esqueci a camisinha, foi isso).

  • Dido disse:

    Quando era criança joguei muito fliperama com o troco do pão que minha vó mandava comprar, meu primo tava sempre junto, ganhava super nintendo, Nintendo 64, playstachion, sempre tinha as novidades. eu e meu irmão só jogávamos nas épocas que visitávamos ele. o tempo passou, começamos a trabalhar, casamos, e ai pudemos comprar os nossos sonhos de consumo. Meu irmão em plena época do playstachion 3, comprou o antigão mesmo. nostalgia, e orgulho, por ter sido com o dinheiro dele. Eu ja demorei mais, depois de casado somente que consegui comprar um pra mim, mas moderninho rsrs, mas só vou comprar jogo quando sobra um troquinho e depois de analisar muito. E espero que meu filho/a aprenda a ser assim, ao invés de ficar pedindo por todo lançamento que ver, pq os coleguinhas já tem e ele não!!! Vou trabalhar pra sustentar minha familia e dar o melhor pros meus filhos, e sei que jogos não são nem de longe a prioridade!!

  • Diego disse:

    Parabéns Coala, essa tirinha está demais!

    Também nunca ganhei nada de mão beijada, o melhor presente que ganhei do meu pai foi herdar sua integridade e esforço, o que consegui na vida é consequência disso.

  • João disse:

    É uma grande lição que aprendo com meu pai todos os dias. Não conversamos muito, mas enxergo nele o esforço que fez para conquistarmos o “pouco” que temos hoje. Grande homem. Me orgulho dele e quero ser igual a ele quando crescer: conquistar tudo com meu esforço e sem pisar em ninguém.

  • J@... disse:

    Coala você é 10!!!!!!! ótimo relatar isso…. nossas crianças estão perdendo o prazer de ser criança, de correr na rua , brincar de pique. mas devemos salientar que nossas crianças segue exemplos e se elas veem como os pais são presos a futilidades elas serão futeis. Parabenizo o PP por fazer de Junior um garoto que dará valor as coisas que tem. e filho não pede pra nascer nem é educado sozinho.

  • Anderson Bernardo disse:

    Parabéns, Coala!

    Discordo plenamente com a ideia de que crianças têm que trabalhar, conforme informou um amigo aí em cima.
    O que destrói é o consumismo, tanto do pai que perde 12h ou mais do seu dia em função do trabalho para ter bens que não utilizará em poucos, quanto do filho que consume todo esse fruto.
    O trabalho não engrandece o homem, apenas o torna cego e compulsivo, assim como uma droga que é utilizada todos os dias.
    Costumo brincar e dizer que vivo num regime semi aberto, pois só vou pra casar, praticamente, para dormir…
    aos poucos estou soltando essas malditas correntes invisíveis e vou lutar para meus filhos não serem porcos capitalistas.

    quero trabalhar, no máximo, no máximo, 6h p/ dia, com, no mínimo, 30 dias de férias por ano.

    • Preto Pobre disse:

      Trabalho não engrandece?
      Trabalho é droga?
      6 horas por dia?
      Férias de 30 dias?

      Mais um fugitivo de Nárnia detected…

    • Doug disse:

      “Trabalho não engrandece o homem” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, tá bom Anderson, o que engradece o homem é ficar paradão em casa, sem fazer nada, enquanto tem gente ralando pra te sustentar. Você daria um bom político( daqueles que roubam a gente)

    • Anderson Bernardo disse:

      Quem criou o conceito de que trabalho engrandece o homem?
      Como se mensura o quanto vc trabalha X o quanto você ganha?

      Algum porco criou esse conceito e as pessoas seguem cegamente até os tempos atuais (alguma semelhança com as religiões? Toda!)
      Ninguém disse de ficar em casa sem fazer nada (e qual o problema disso?), mas sim de ter equilíbrio.
      Você estuda 8 horas por dia? Você se diverte 8 horas por dia?
      Você passa 8 horas por dia com sua família?
      Kd o equilíbrio das coisas?
      Trabalho, em sí, talvez não seja uma droga, mas o mundo capitalista e hoje e o meio como ele é utilizado, isso sim é uma droga…
      Vc e mais 4 Bilhões de pessoas trabalham, o que é grande nisso? o que vc esta fazendo pelo mundo, por si mesmo ou pela sua família?

      São esses conceitos ridículos que a religião capitalista cria… formando cada vez mais e mais alienados…tsc, tsc

    • Marcus Pedro disse:

      Olha só… TUDO na vida demais, em excesso, realmente destrói a pessoa! TU-DOO!!! A opção que as pessoas tomam em sua vida se reflete no futuro! O que aconteceu com o Preto Pobre reflete hoje à vida que ele tem hoje, humildade, perseverança e de grande valorização das coisas mais simples da vida, assim como muitos que tbm tiveram criação de bons costumes e valorização dos termos sacrifício e recompensa. Trabalho bem executado é aquele que a pessoa SENTE PRAZER no que faz e entende a sua obrigação, ou até mesmo, entende a obrigação de fazê-lo MESMO não gostando, mas sabendo que um dia vai consegui-lo, é só acreditar! Eu, por muitos anos, trabalhei e fiz coisas com as quais, até começava a gostar, no início, mas desanimava, mas entendia q precisava pois tinha minha prioridades com a família! Eu dou valor as minha conquistas, TODAS ELAS. E tento mostrar aos outros que não dando as coisas de mãos beijadas para seus filhos, sobrinhos ou netos que você ensina coisas de valor! Se o guri, ou guria, entender que quer desde cedo colaborar no crescimento da família e que chegou a hora de crescer, você vai impedir isso? Pq na sua cabeça de capitalista, criança ou adolescente tem que brincar e OBRIGAÇÃO DELA ficar nesse comportamento?
      Na minha opinião, VOCÊ ESTÁ DEIXANDO de ensinar os primeiros passos de sentido real da vida: plante hoje e colherá amanhã! SE uma criança ou adolescente quer ajudar, o melhor é sentar e começar a mostrar pra como ela pode contribuir e se é essa a hora mesmo e dizer pra ela que o que ela conquista é dela e será do direito dela fazer o que achar por bem fazer com isso! E mostrar as consequências, como por exemplo, o que você mesmo faz na sua casa! Mostrar pra ela o que você construiu com as suas conquistas e o que acontece quando tem mais pessoas colaborando nisso tbm!
      Enfim, resumindo, você é um capitalista ferrenho, ok, beleza! Mas é uma BABAQUICE dizer que trabalho não engrandece porque, com esse argumento, VOCÊ contradiz um dos princípios do capitalismo que é O TRABALHO ENOBRECE, logo engrandece! Trabalhar pouco e ganhar muito TODO MUNDO quer, mas saber como fazer isso sem prejudicar o outro que é o grande dilema, que muitos não seguem! E experiência de derrota e maus tratos no trabalho todo mundo tem, então não coloque a culpa em situações sociais por conta de suas derrotas, faça das suas derrotas, lições de aprendizagens pra vc se tornar algo melhor que nenhum outro será, pq é isso q sempre acontece!

      Preto Pobre, tamos junto no movimento, bro! Rsrsrs

  • Luke Lima disse:

    sobre o comentário do quadrinista: “…, que som é esse???”

  • Anderson Bernardo disse:

    Marcus Pedro, acho q vc não leu direito…
    Fico impressionado como os magnatas conseguiram embutir na cabeça das pessoas que o trabalho engrandece o homem.. hahahahahaha… é mais ou menos a mesma coisa que a religião faz: “Ore a Deus para ser perdoado.” “Louvar a Deus te engrandecerá”…
    São conceitos ridículos criados a séculos que as pessoas seguem cegamente. Mas não te culpo… assim como é difícil enxergar o fascismo por trás das religiões, é difícil enxergar o fascismo por trás do capitalismo… estudem um pouco mais.

    • Marcus Pedro disse:

      Como entendo! E tem uma coisa q minha namorada falou q resume bem! Ela é ótima nisso! Viver em função do trabalho realmente é uma coisa q destrói qualquer um, mas vc trabalhar pra ter o que vc necessita não tem mal nenhum! Por exemplo, sou desenhista, ilustrador e animador digital! Hoje estou batalhando pra conquistar o direito de fazer histórias em quadrinhos e não ter que trabalhar mais, pq estarei sendo pra pago pra divertir! SIM! Pago pra divertir! Pq fazer hq é uma diversão e ser pago por isso ainda é muito mais divertido!
      Agora, como eu disse, TUDO em exagero é negativo, é ruim! Viver pra trabalhar é ruim, fanatismo religioso é ruim! Pq é COMUM de muitos ter seus exageros e dificilmente enxerga isso! Volto a dizer, só dizer q o sistema que é errado pq existe, não concordo! Errado são as pessoas que NÃO SABEM usá-lo de forma correta! Igual vc ter um carro possante e achar q tem atingir a velocidade de dobra espacial pq se não vc não desfruta da coisa! Quer fazer isso, que não seja na cidade! Pelo menos que seja num deserto!
      Eu sou nerd, filho, não sou conhecedor de tudo mas estudo muitas coisas! Pra mim, se o mundo é regido pelos modelos econômicos, ou se a religião existe, NUNCA será o problema! O problema sempre serão as PESSOAS!!! Então se culpe por não fazer sua parte em contribuir para o equilíbrio das coisas, assim como tbm me culpo por muita coisa que não contribui por limitações pessoais! Mas uma coisa eu tenho certeza… estou fazendo a minha parte pra mostrar q posso melhorar isso! Vivendo, trabalhando, batendo aquele papo maneiro com Deus, pq isso me faz bem, dando beijinhos de premiação em minha namorada pra aliviar o stress… e jogando um PS3! XD

    • Anderson Bernardo disse:

      Marcus Pedro,

      Respeito seus pontos e acho digno ter um trabalho como diversão, ao invés de obrigação. É o sonho de muita gente.
      Porém, discordo com o ponto de “contribuir para o equilíbrio das coisas”… o que é equilibrado no mundo de hoje?
      Vou dar um exemplo: Para que as pessoas trabalham? R: “Para adquirir bens de consumo, acumular riquezas, alimentar-se e etc…”
      Logo, se você quiser sempre mais, terá que trabalhar sempre mais (o princípio do desequilíbrio). Ter mais, significa consumir mais. Consumir mais significa consumir além do necessário. Consumir além do necessário significa utilizar-se cada vez mais dos recursos naturais (que são escassos e finitos). Até ai, “tudo” bem… mas imagine 7 bilhões de pessoas trabalhando cada vez mais, para ter cada vez mais… Agora, imagine se o resto do mundo consumisse com os americanos, quanto tempo você acha que nossos recursos naturais durariam?
      O mundo não consome como os americanos atualmente, mas mesmo assim nossos recursos já estão se tornando escassos. O sistema faz com que milhões de pessoas morram de fome todos os dias na África e em dezenas de outros países. A indústria farmacêutica deixa de produzir dezenas de curas para dezenas de doenças porque os remédios nem sempre geram lucro. A fortuna das 200 pessoas mais ricas do mundo são maiores que o PIB do Brasil…
      … Paro um segundo pra refletir e não vejo equilíbrio algum.

      Se estou contribuindo para o equilíbrio ou não, eu não sei… só o tempo irá dizer.

  • Vitor disse:

    Quem nunca PRECISOU trabalhar jamais vai concordar que o trabalho engrandece o homem.

    Quem teve a oportunidade de estudar na melhor “facul”, fazer o “emebiei” desejado e só assim, “trabalhar” JAMAIS vai concordar que o trabalho engrandece o homem.

    Quem não sabe o isso significa jamais presenciou o paradoxo do rapaz mimado com o “engrandecido”. Sequer sabe diferenciar. Talvez porque seja o mimado.

    Tem gente que amadurece depois do “emebiei” pago pelo papai, tem gente que engrandece, à base de trabalho, muito antes da “facul”.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*