Auréolos #124 - Mentirinhas

15 de outubro, 2013 Postado em: Auréolos

aureolos_126Esse é pior porque vai matando aos poucos.

 

comentários

26 Comentários

  • Deko disse:

    Dura bastante tempo com o efeito de se transformar em “Cultura” para alguns….desvastador

  • Preto Pobre disse:

    Quem é das antigas lembra…

    Funk no meu tempo era algo mais racional. Lembram Trinery? funk melody… Era algo até dançavel… e sim, eu dancei.

    A parada foi se deturpando. Começou a se degradar e a conotação sexual-pervertida tomou ares denotativos. Agora funk virou funk-brasileiro, nada a ver com o funk de raiz, o funk americano, o funk dos manos-black-alpha.

    Hipocreticamente, cobramos educação e saúde. Nossos jovens, futuro de uma nação sem passado, escutam mr Catra e acham o máximo falar que aquilo é bom. Apologiar músicas que fazer referência a engravidar com 13 anos se tornou “ser moderno”.

    Sou Black poor dos guetos da periferia do mundo, mas na boa, sou old black. Quantas tardes passo com a Gerusa ouvindo MPB… Infelizmente nosso Brasil está carente demais de música de qualidade… AI qualquer bosta que aparece faz sucesso. Deus precisa mesmo apertar um botão para colocar mais juízo (final?) para as pessoas.

    • André disse:

      Só para acrescentar um pouco de ironia, Mr. Catra é formado em direito, fala 4 idiomas e é primo do Secretário Estadual de Direitos Humanos do Rio de Janeiro.

    • Deko disse:

      informação Adicional:

      Ele sabe muito bem o que “Canta” e em entrevista ja declarou que “Tem muita demanda para este tipo de material”

      Não vou dizer que ele esta errado, pois é a lei da procura e oferta, e ele não deixa de estar certo..se tem gente que tem “gosto” pra isso, ele simplesmente fornece o produto de baixa qualidade que satisfaz perfeitamente o gosto dessa pessoa.

      Sobre o que o PP postou:

      Não curto Funk e nem defendo pelos motivos citados pelo PP, entretanto, apesar da lavagem mental que as rádios fazem com a musica dela, a Cantora Anita, conseguiu fazer ate agora UMA musica que não é uma desgraça como os “leks Leks” ou “Tatis Barraqueiras” da vida…..mas foi a unica coisa que ouvi dela…

    • Ricardo disse:

      Você tem toda a razão Preto. Assassinaram o Funk Clássico.
      E o Deko também tem razão. Se a mídia e a população brasileira gosta de musica nesse nível ( si pode dizer que tem nível uma coisa dessas ) é pra mostrar o nível do povo. Lógico não vou generalizar, infelizmente gosto não se discute e deve ser respeitado.

      Nessas horas que tenho saudades do Raulzito, Chorão, Cassia Eller, Renato Russo…

  • Marcos Almeida disse:

    E tinha quem achava que era coisa do diabo…

  • GuilhermeCA disse:

    Misericórdia Senhor!!!!! Nos perdoe pelos nossos pecados!!!!! Faça chover fogo ou sapos ou sapos flamejantes dos céus, vulcões nos mares, sangue nos rios e até mesmo a peste de gafanhotos, mas não isso!!!! Por favor, não issooooo!!!!!!!

  • Joker disse:

    Discordo… isso não é assassinato! É tortura!

  • Victor Hugo disse:

    O mundo tem capacidade sustentável para 1 bilhão de pessoas,
    vemos tanta desigualdade mundo afora, África, Índia, …
    Mas como estamos bem, com internet, comida todo dia, o que fazemos, reclamamos e ou fazemos piadinhas….
    E ainda achamos ruim pq a taxa de crescimento do Brasil esse ano é de 2,5. É 2,5 menos natureza, menos insumos naturais do que ano passado, China, Rússia, Eua,… Um crescimento absurdo, que reflete em um caos natural…

  • Fex disse:

    Lá vem o apocalipse
    o mundo tá acabando
    mas não tô nem aí
    continuo rebolando

    Vulcão e terremoto
    Eu não tô nem aí
    Já tremo o tempo todo
    E tá muito mais quente aqui!

    Então

    Vem, cavaleiro, vem acabar com meu mundo
    Vem, cavaleiro, sei que tu é popozudo
    Vem, cavaleiro, venha precedendo a Besta
    Só não traga nenhum santo para acabar com a festa!

    Pronto. É só adicionar uma batida (six, six, six, six, six, six…), saiu aí um funk do fim do mundo.

  • Mais um na multidão disse:

    já que o pessoal gosta vamos generalizar :
    Funk : musica de quem gosta de ##### e ficar na modinha;
    Sertanejo : musica de dor de cotovelo, mal amado.
    Forro e derivados : musica de bebado pra encoxar mulheres;
    Samba : musica pra quem faz churrasco em cima da laje e enche a cara de cerveja
    Pagode : o mesmo q o samba só que num bar
    MPB : musica de quem se acha, e crê q tudo acima é lixo
    Rock : musica de drogado ou que faz atos ilícitos
    Rap : musica de presidiário ( atualmente de classe média se achando “mano”)
    Musica Clássica : quem escuta isso?

    e por ai vai…só quero dizer que : o funk se tornou uma febre nacional, tem até comercial com o som de fundo…porém a todos q eu pergunto ninguém gosta de funk e sente repúdio mas será q é isto mesmo? acho q não…no fundo, alguém q diz q nao gosto mas chega em casa escuta só isso….ele não faria sucesso se somente uma merreca escutasse….
    Por sorte sou alienado a tudo isso

  • Marechal disse:

    Deus…não vale repetir!
    Já teve uma peste (no terceiro quadrinho).
    Lança logo o apocalipse zumbi!

  • Milani disse:

    Tinha que começar justo no Brasil? rs…
    Coala, tag com “e” a menos no moleque: “masseiquequandovoceeramolqueouviafunkbrasilcoalasafado”

  • ErvinhaVV disse:

    Ei! eu ouço musica classica!

  • Leici disse:

    Massa a tirinha! Pode parecer preconceito, mas puxa vida, carro com funk alto, funk no ônibus, festa com funk, longe de mim, por favor…

  • Gilberto disse:

    Funk bem lonje de mim.

  • Alessandra disse:

    Mas essa peste n faz as pessoas se reproduzirem???
    Fiquei confusa… o Mundo vai acabar superpopulado por funkeiros??? rsss

  • Felipe Fraga disse:

    vim aqui por caso do Will que respondeu um comentário em um post, de alguém zoando falando que ele tinha feito uma tirinha de Deus e era esta.
    Link do post em questão: http://www.willtirando.com.br/?post=1323&acao=comentar#coment

  • LolBunda disse:

    mas se éra A.C (antes de cristo)como que ele ta ali nos botoenzinhos??

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*