Sobre as guerras

01 de fevereiro, 2013 Postado em: Hq

Sobre guerras…

comentários

44 Comentários

  • Paulo Araujo disse:

    Sensacional Coala! Linda HQ! Parabéns!

  • Hellen disse:

    O sentimento deveria falar mais alto que as ações nesses casos .-.
    Se ele não se sente bem matando, por que ainda o faz? ><
    Mas guerra é assim mesmo: uma coisa sem sentido.

    • svgeditor disse:

      Ele continua matando, minha cara Hellen, porque se ele parar aqueles que começaram a guerra vencem e dai são aqueles que ele ama que vão morrer(vide 11 de setembro), a guerra não é sem sentido, a guerra é a unica resposta ao mal, porque ele faz parte da natureza humana, e só é preciso um inimigo para fazer a guerra (vide Hitler) e não dois, ela é cheia de horrores? sim ela é, mas sem ela o que haveria seria a destruição total do bem.infelizmente.

  • Preto Pobre disse:

    Me lembro uma vez que o Dalai Lama falou:

    … E se todos os soldados se negarem a ir para a guerra? O país prenderia todos por serem desertores? Julgamos que isto aconteça dos dois lados da guerra. Seria uma guerra ganha para os dois lados sem um tiro ser disparado e finalmente o homem saberia que o caminho da paz tem uma outra direção.

    Eu sinceramente não tenho coragem de matar nada que não seja inseto. Milhares de sentimentos se embolam e as palavras se tornam inúteis para tentar explicar. Tirinha épica Fábio.

  • Luis disse:

    Quando eu era criança, tinha a pior mira do mundo com estilingue. E hoje eu agradeço por isso….

  • Carlos T V disse:

    Eu também, Luis. Felizmente, a pontaria era horrível.
    Sensacional a HQ, Coala. Parabéns!

  • Fernando disse:

    Bahh, eu espero a semana inteira pela sexta feira, só para entrar no Mentirinhas, e ver que o Coala se superou e me surpreendeu novamente. E esta rotina se repete, semana a semana…

    Coala: O Mestre.

  • Ju Lins disse:

    O dever do certo e o fazer por obrigação às vezes no deixa nessa corda bamba. Depois que acontece, cai a ficha do arrependimento e vários questionamentos:” e se isso…e se aquilo” pro resto da vida.

    Quando eu era criança, eu odiava quem matava passarinhos ou lagartixas. Nossa, virava e mexia eu arrumava briga com os moleques da rua por isso…só faltava apanhar deles. A mesma coisa era com meu pai (que criava passarinhos em gaiolas) e não era pouco não…era bastante (com direito a 1 viveiro enorme)…Logo me dava uma falta de ar, uma agonia tremenda de vê-los daquele jeito. Ele falava que era frescura minha, e eu ainda chegava pra ele e perguntava que se fosse ele que estivesse preso, o que ele acharia? Até porque somos seres vivos iguais a quaisquer outro,só porque temos um cérebro dito como evoluído, não temos o direito de fazer nada contra. Quando mais velha, meu sonho era ingressar nas forças armadas. Até tentei, mas a Biologia falou mais alto e cá estou eu.

    Hoje eu cresci, estou com família formada e ainda tenho essa mesma ideologia de quando era criança. Tento passar pra minha filhota o máximo do que aprendi com essas coisas, pra quando ela ingressar nesse mundão aí a fora, ela não venha se arrepender e a se questionar, pro resto da vida, por uma “obrigação de fazer” muitas vezes sem sentido.

    Beijo Coalinha

  • Nara disse:

    Amei, Coala, muito profundo!
    E a arte ficou incrível! As cores, os fundos…. tudo!

  • Vini disse:

    Agradeço por ter errado a mira na única vez que disparei uma funda (estilingue) contra um ser vivo emplumado…e não deve ser fácil tirar a vida de um ser humano, mesmo em algum conflito…grande tira, Coala.

  • @corghi disse:

    “O pior da guerra não é morrer, e sim matar”
    lembro dessa fala em um filme, um jovem que era considerado o herói da rua pelas crianças, contando a um deles pq ele já não era mais aquele cara extrovertido e bem humorado de antes de ir pro front. Se alguém lembrar o nome do filme, me fala ai!

  • Saymon Lukas disse:

    Poxa Coala, fique todo arrepiado com a tirinha de hoje, so você mesmo para fazer isso comigo, #maldito coala mal consigo ver seus movimentos!!!

  • Camila disse:

    Essa HQ ficou incrível Coala! Meus parabéns! Linda, muito bem feita, e com uma profundidade e sensibilidade raras…
    Fico indignada como as pessoas são manipuláveis, e acabam fazendo coisas com as quais não concordam simplesmente por que alguém “superior” mandou… Porque alguém lhe disse que deveria odiar fulano e a pessoa acredita e vai. É só por isso que existe a guerra e tudo o mais…
    Me lembrei que esses dias dei uma baita bronca nuns moleques na rua porque tentavam acertar um sabiá… Eu mesma quando criança só usei estilingue pra derrubar pinha pra poder catar pinhão, tomando cuidado com os passarinhos e tal… E desisti de fazer Biologia ou Veterinária porque não ia conseguir fazer nenhum tipo de experiência com animais…

  • Rafael Simon disse:

    A arte ficou bonita, mas, suas novas tirinhas “sentimentais e reflexivas” parecem estar sendo desenvolvidas correndo, ou sem criatividade, enfim. O que quero dizer é que quando “o monstro” foi postado a história era incrível, tinha um contexto de realidade com o imaginário, tinha algo nas entrelinhas, mas nessas novas a cada semana está sendo postada uma tira com um contexto mais vago. O que o pessoal postava sobre estar ” escorrendo lágrimas” ou ” caiu um cisco no meu olho” deve estar percebendo que não está surgindo o tal mesmo efeito.

    • renata disse:

      você tem algum problema mental, só pode. Vai se tratar. Ou volta para a TV que o BBB já começou.

    • Fábio Coala disse:

      Ou não foram feitas pra alguém com sua bagagem de vida.

    • JuMenassi disse:

      Coala, fiquei sem palavras com esta tirinha, que não tem comparação com o Monstro, por serem de estilos diferentes, ela não tem a inocência, não mexe com a imaginação, não nos faz regressar a infância, mas que tem uma grandeza incrível impressa nela, toca no coração da gente nos fazendo lembrar que crescemos e temos que fazer a paz, temos que cuidar do futuro…
      Diferente sim, mas não menos emocionante, não menos verdadeira.
      Vc é um mestre dos quadrinhos pra mim. E esta tirinha é a prova de quão grande é o seu talento. Vc não se prende em um estilo apenas, vc sabe explorar, sabe experimentar e, principalmente, sabe emocionar.
      Continue assim, sou sua fã!!

      Abraço.

    • Bia disse:

      pelo visto o coala nao aceita criticas -_-‘

    • Fábio Coala disse:

      Você está enganada, Bia. Se eu não aceitasse, era só deletar o comentário. O que quis dizer é que cada HQ toca diferentemente as pessoas conforme a bagagem de cada um. Quem nunca teve cachorro, por exemplo, não vai sentir o mesmo na HQ do “Gaspar” de quem já teve e o perdeu por velhice, doença, etc. Ainda tenho muitos amigos na Polícia Militar e sei que alguns tiveram que matar em legítima defesa ou em defesa de alguém. Com certeza, por suas bagagens, eles terão um sentimento diferente sobre essa HQ do que a maioria que acompanha o site.

  • Fex disse:

    O sentimento pode até ser o mesmo, mas acho que é o de indiferença.

    Um soldado comum pode até ter sido recrutado a ir para uma situação de combate e, uma vez lá, ver-se acuado entre matar e morrer. Mas um atirador de elite escolheu ser um assassino por profissão. Só o que sua perícia o permite fazer é matar. De nada mais serve sua função. Ainda mais esse aí, que atirou num cidadão comum.

    Já o menino, bem… se a molecada é cruel com os outros moleques, e depois cresce um pouco mais pra colocar fogo em índio e espancar pedestres à toa, não acho que seja um passarinho morto que vá manchar o currículo dele.

  • Caramba! Impressionado com a arte e a dramatização da mensagem.

    E as gerações de hoje nunca mataram um passarinho com estilingue, por isso eles matam homens logo de uma vez.

    Parabéns pela mensagem, pela arte, por tudo!

    Abraços. Fabiano Caldeira.

  • Fernando Cezar disse:

    Pô Coala, desculpa, mas forçou a barra na comparação.

    Eu cresci em fazenda, vivia cercado de bichos. Alguns eu sabiam que iam morrer e acabar no prato. Já matei passarinho com estilingue, depenei e comi. Não foi nada cruel, fazemos a mesma coisa com milhares de outros animais todos os dias.

    Ratos sempre são pragas em lugares rurais, principalmente onde se tem criação, então esses temos que matar sem dó, senão eles infectam a comida e acabam matando os outros animais (principalmente galinhas).

    Aceitar sua condição como predador pode ser difícil, mas não te faz menos humano encarar que matamos sim. Não é por diversão, é por comida, ou para proteger nossa comida. Pense, nem a alface dos vegetarianos estaria salva se não fossem os inseticidas e raticidas.

    Mas daí a comparar a vida de um passarinho com a vida de uma pessoa chega a ser depreciativo para a condição humana.

    • Bia disse:

      e em q parte da hq aparece algo relacionado a comida?

    • Allice disse:

      Inacreditavel e inac eitavel que uma pessoa diz que viveu em uma fazenda, chácara, roça sei lá diga que tenha que matar passarinho para comer! Brincadeira… Cade todas as outras coisas que um ser humano encontra em uma fazenda para comer?… Desculpe mas não justifica. Mesmo que o homem estivesse em uma floresta existiriam centenas de outras coisas comestiveis! OLHA O TAMANHO DO PASSARINHO para ver se pode matar a fome de alguém! ridículo é maldade mesmo! Se não tivesse por natureza, o desejo de conservar a perversidade que parece já ter no sangue e NUNCA ter sido EDUCADO para moldar, são pessoas FRIAS assim que NUNCA se colocaram no lugar de animais indefesos que levam esta inconsistencia para a vida e transformado em adulto: Já tem o instinto de ser covarde com os indefesos indo para a psicologia é assim que o analista descobre quem é o assassino em crimes difíceis: Analisa o suspeito desde a infância; Seus costumes, seus sentimentos em relação ao menor X maior… Até com traços em um papel se analisa uma personalidade. Vale a pena procurar um psicólogo, amiguinho. Antes que seja tarde. Pelo que vejo, na está no sangue da família! Desculpe o rapaz, Coala. Ele só precisa de ajuda. Estejamos preparados, inclusive para a possível reação agressiva que ele possa ter ao ler esta resposta. É normal aos pacientes neste estado. Seu trabalho, suas ilustrações transformando nossos sentimentos mais nobres em obras de arte, são fantásticos! Não pare nunca! Vá em frente, lindo! Ignore estes casos. Compare com a quantidade e qualidade de outros inúmeros elogios de pessoas sadias e vá em frente! Abraços na família

    • Michele disse:

      Ele não comparou a vida de um passarinho com a de um ser humano. A HQ enfatizou o sentimento de arrependimento.

    • Fábio Coala disse:

      Desculpe, mas você não entendeu a mensagem. Não se trata de vidas e sim de sentimentos. Coisas que podem marcar pessoas para sempre.

    • Mateus Lacerda disse:

      Acho que tem uma sutil diferença entre matar pra alimento, e matar por matar, assim como crianças já fizeram com passarinhos, alguns homens fazem em uma guerra, matam por matar, por que alguém que ele não conhece tem motivos que ele não tem nada a ver.

    • Douglas disse:

      Vc quer dizer que a vida de uma pessoa vale mais que a de um passarinho? Qual a diferença? depreciativo o seu comentário.

    • Carlos disse:

      Coala tirinha boa, ele foi o unico retardatário que não entendeu o sentido

  • Mais um na multidão disse:

    Sinceramente não vejo tristeza nisto,guerra e catrástofre somente fazer aflorar o nosso instinto de sobrevivência. Lembro de um acidente de avião que caiu nos andes e os sobreviventes recorreram ao canibalismo para sobreviver, eles são monstros?não apenas decidiram viver se alguém precisa morrer,que não seja eu!
    Na tirinha o soldado atingiu o civil correto? Mas e se este civil fosse um soldado a paisana que iria descobrir o local da base inimiga para ser bombardeado? O soldado matou uma pessoa e salvou milhares.Ele é um herói,não.Apenas cumpriu com o dever. É a mesma coisa querer ser elogiado por fazer o seu trabalho,afinal vc está lá por aquele motivo…
    Quanto a criança atiriar no passarinho,veja bem…ela é uma criança! não tem o desenvolvimente formado para saber o que esta fazendo,se ela fez e sentiu remorso ótimo nunca mais irá fazer. Hj em dia esquecemos que o ser humano aprende com o erro…Guerra será um erro apenas quando,todos os serem humanos forem iguais,caso contrário é a lei do mais forte assim como na natureza. =)
    Pensando bem,posso ser o MHDM…cuidado com mais um na multidão =)

  • Lhai disse:

    esse estilo de colorização tah…. maravilhoso!
    *.*

  • Arte é aquilo que tem a capacidade de despetar algo em uma pessoa. E esse algo pode ser totalmente diferente de uma pesosa a outra.

    O legal é isso. A pessoa vê o trabalho e interprta o que lhe chama a atenção nele.

  • Preto Pobre disse:

    Caramba… Uma tirinha que gerou mais polêmica que mamilos em homens!!

    Eu como sempre, não vou deixar de expressar um pouquinho de mim neste site que tantas alegrias me trouxe:

    Eu trabalhei no necrotério do Rio de Janeiro, ali na rua dos Inválidos em frente ao colégio Souza Aguiar. No começo era um lugar ruim pra trabalhar… Tudo dava medo. Depois fui acostumando até chegar ao ponto que o lugar não era nada além do local de trabalho. Mas uma coisa não mudava: Eu trabalhava com pessoas e era uma moeda de duas faces: Pessoas vivas e pessoas mortas. As vivas eram profissionais que eu considero como mais do que mestres. Do outro lado, poderia estar qualquer um. Sabem, os sentimentos naquele lugar são uma sopa de concreto… Duro, embolado, dificil de engolir e vc não entende o que se passa por dentro. Lidar com a vida e com a morte ao mesmo tempo era complexo. Um certo dia, vi um amigo bombeiro sentado no segundo andar chorando muito. Sentei ao lado dele e ele em prantos me falou que a menina que ele resgatou de um acidente de transito havia falecido. Pensei: Um bombeiro lida com isso o tempo todo… vida e morte, sangue, acidentes e resgates… pq ele havia se sentido tanto com aquela jovem? Depois eu soube que a menina morreu pra salvar uma senhora de ser atropelada. A senhora era a mãe do bombeiro. Pensei no valor de cada vida, de cada ser vivo. Independente se é passarinho ou se passarão.

  • Izabela disse:

    Caramba, Coala!!! Tirinha sensacional, como sempre!
    A cada sexta vc nos surpreende com sua sensibilidade.
    Parabéns por esse talento!!

  • Luke Lima disse:

    tem que criar uma plaquinha: “antes de polemizar, favor entender”

    “bem do fetio do Coala fazer tirinhas com má índole” – essa vai pro MENTIRONAS

  • GuilhermeCA disse:

    nunca matei passarinhos, e nunca tentei- minha mãe nunca deixou (eu e os meus irmãos) ter estilingue em casa…
    mas eu entendo a tira
    isso me faz lembrar do filme “Cavalo de Guerra” quando dois soldados dos dois lados se unem pra soltar o cavalo preso no arame farpado, porque ele estava sofrendo muito. Enquanto fazem isso eles conversam entre si, e depois um fala para o outro-“acho que nunca acertei um tiro nessa guerra” e o outro agradece para ele e fala a mesma coisa

  • Bia disse:

    E eu que nem sou muito de chorar com suas tiras… chorei!

  • Deo disse:

    Tem pessoas que não conseguiram compreender a mensagem, mesmo o Fábio Coala já tendo explicado. Muito boa a tira, me fez lembrar quando matei um cachorro por atropelo quando estava no curso da autoescola, ainda fico temeroso ao sair de carro e prefiro ir de ônibus do que de carro. Não me esqueci e já tem 9 anos, e acredito que irá comigo para o túmulo e nunca irá cicatrizar o remorso que tenho. Parabéns pela emoção que passa, pela criatividade e pela qualidade.

  • Ana Cláudia Marques disse:

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*