Na sujeira - Mentirinhas

22 de novembro, 2013 Postado em: Hq, Monstro

na_sujeiraB

na_sujeira

comentários

34 Comentários

  • Robson disse:

    Malditos Ninjas de Movimentos Cortantes. Mal Consigo Ver Suas Cebolas… Não, péra…

  • Micael disse:

    Incrível! Sensacional desenrolar de quadros! Final emocionante!

  • Preto Pobre disse:

    Coala,

    Faltou colocar nas tags: pretopobre

    História que faz meus neurônios retrocederem alguns anos e minhas emoções esfervecerem.

    Como a maioria sabe, sou carioca. E a história que vou resumir aqui é real. Sobre a de ontem, ficaram com dúvida se era, então ja adianto que tanto uma quanto a outra são reais:

    Quem já teve a oportunidade de entrar em uma favela, sabe que não é exatamente do jeito que a Globo mostra. Vamos imaginar uma favela com tanta pobreza que vc não imagina como chegou a tal ponto. Crianças dormindo junto com porcos e galinhas bicando um cadáver de algo que parece uma ratazana. Mulheres sentadas em tijolos conversando enquanto os pés estão afundados em uma lama preta. Um cheiro que despertaria ânsia até em um jovem que trabalhava no necrotério… E esse jovem era eu. Fui na favela visitar uma menina que tinha perdido o pai. Eu auxiliei na necropsia do pai da menina e acabei tendo contato com a família. A menininha veio falar comigo e disse que eu era legal, que se desse para eu ir visitar. Foi difícil conseguir chegar aonde ela morava, mas cheguei. Foi de cortar o coração ver as condições sub humanas que ela e os 7 irmãos viviam. O pai tinha morrido no meio do tiroteio e a mãe fazia faxina… Mas algo era engraçado no meio do caos: Eles sorriam. Pareciam felizes. Um irmãozinho da menina falo que ia me mostrar uma coisa e eu fui ver o que era. Um pézinho de mamão estava nascendo onde eles jogavam o lixo. Pensei: A vida insiste em continuar, meio no meio de tanta pobreza. Pensei na flor de lótus que nasce no meio do lodo… Cada criança pobre e suja que vi, estavam sorrindo. Não sabiam ler nem escrever, dentes cariados e mãos imundas… Cabelos engordurados e barrigas inchadas, mas pareciam que tinham tudo. O pouco que tinham lhe bastava. Voltei ao “asfalto” e vi um menino se esguelando pq a mãe negou um lnache no MC Donalds. Calei-me e deu vontade de por o capacete e esperar a próxima arca.

    • Leilah disse:

      Puxa vida, Preto….
      Hoje você e o Coala me derrubaram….. chorando aki….

    • Vívian disse:

      Respeito.

    • Ricardo disse:

      Preto você tem todo meu respeito!
      Como ser Humano e pessoa. Não te conheço pessoalmente, mas te admiro muito cara, de verdade!!!

      Só quem passou por isso ou viveu essa triste realidade sabe dar valor a vida…

    • Castrilles disse:

      Cadê o botão curtir pra isso haha?
      Merece todo o meu respeito também.

    • Thaissa disse:

      O Preto Pobre deve ser o (ou um dos) primeiro(s) leitor d blog q todo mundo quer conhecer além do próprio blogueiro rsrs.
      Mas sério, eu pelo menos, sempre procuro seus comentários depois de ler a tirinha, sempre tem algo interessante a acrescentar (de útil ou não rs). Parabéns pela sensibilidade, vc e o Coala fazem uma duplinha q puxa vida, viu? 🙂

      Qto à tirinha, sem comentários, sempre emocionantes! Mas dpois d conhecer o autor e sua musa inspiradora nem me surpreende mais *-*

    • Tauanne disse:

      Preto pobre… você deveria acompanhar o coala no próximo FIQ…\o/

    • Preto Pobre disse:

      Vou aprender a desenhar só pra ir lá !

    • Juliana disse:

      Cara…eh nessas horas que a gente tenta se lembrar do que foi que estavamos reclamando mesmo? Obrigada pelo seu relato! Ele nos faz pensar no que realmente importa.

  • Zurol disse:

    Como assim ir enfiando uma flauta que estava no lixo assim na boca.

    Morreu de diarreia 2 dias depois ctz

    • Jacque disse:

      Se a flauta fosse a única coisa que ele pegou do lixo e pôs na boca ¬¬

    • Fábio Coala disse:

      Infelizmente as famílias que vivem nos (e dos) lixões acabam fazendo coisas bem piores que colocar uma flauta na boca, como comer coisas que encontram por lá 🙁

    • Debora disse:

      Infelizmente, eh a realidade de mtas crianças

    • hagnat disse:

      uma pessoa “normal” da cidade com certeza morreria de diarreia se fizesse isso… a gente tá tão acostumado a ter tudo no mais alto padrão de higiene, que nosso organismo fica muito mais fraco para a rispidez do mundo “lá fora”
      como o coala já respondeu, quem vive no lixão faz coisa muito pior que colocar uma flauta na boca, infelizmente :\

  • Ourisso disse:

    @Zurol, infelizmente é de lá que eles comem… então uma mera flauta retirada do lixo e colocada na boca é suave. 🙁

  • Paulo Araujo disse:

    Parabéns pela sua habilidade em não ser óbvio! Linda história Coala.

  • Mariane Gaspareto disse:

    Tirinhas para vomitar arco-íris!! <3 *_______*

  • qgustavor disse:

    Alguem traduz isso para inglês e posta no imgur? Será mais uma tirinha boa para a coleção que já tem lá.
    Por que fazer isso? Você vai ganhar pontos imaginários com isso!

  • GuilhermeCA disse:

    Ao ver a flor eu já ia falar: “Coala, o filme do Wall-E já usou essa ideia!”
    Brincadeira, não ia falar não. Agora vamos ver aonde esse talento irá levá-lo.

    • Carlos V disse:

      Para continuar na “onda” das referências, então:
      Esse talento levará o Coala “para o infinito, e além!”
      😉
      Incrível tirinha, Coala!

  • Marechal disse:

    O que é o belo, depende dos olhos de quem vê: uma flor que insiste em nascer no lixo (aliás, é mais comum do que se pensa), ou um garoto que, vivendo do/no lixo, encontra alegria em uma velha flauta…
    Detalhe para o Monstro na sacola!
    Bela tira, Coala, e ótimo FDS, apesar da chuva.

  • Jane C. disse:

    O monstro é o detalhe, o lindo detalhe… de um dom se mostrando e ninguém vendo!!!!!

  • Ricardo disse:

    HQ de Sexta é tudo de bom!!!

    Isso ajuda a refletir muito na vida e nas nossas atitudes. Ontem mesmo estava vendo as fotos do que sobrou nas Filipinas e o que esta acontecendo la, ai vem o Coala e posta uma HQ dessas.

    Sinceramente…eu me senti envergonhado por um dia ter reclamado da minha vida, e vejo que meus problemas não são nada perto do que sofrem por ai.

    Hoje eu aprendi com a vida e tudo que acontece comigo tiro como lição de vida.
    É como o Preto comentou mais acima. A pessoas que mesmo morando e vivendo em um estado deplorável de higiene e falta de saneamento básico, ainda sorri e são felizes.

    Agradeço a Deus por tudo que tenho e por tudo que me fez, e agradeço ao Coala e ao Preto. Ambos pela sensibilidade e fizeram minha sexta muito melhor…

  • Lays Morais disse:

    Você vem com essas lições que me deixam pensativa o dia inteiro :/
    pra tudo existe uma saída <3

  • Deiah Oliveira disse:

    Me lembrou aquela música “e o mundo vai ver uma flor brotar do impossível chão”.

  • ceh disse:

    não vou … chorei!

  • Zwpp disse:

    Monstro na mochila C:

  • Andreus disse:

    Obrigado Coala pela sua inteligência. Você devia fazer livros junto com Danielle Steel ou novela mexicana com Carlos Romero.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*