Mentirinhas #576 - Mentirinhas

05 de fevereiro, 2014 Postado em: Mentirinhas

mentirinhas_567

Sempre haverá a esperança de uma invasão alienígena.

comentários

10 Comentários

  • Preto Pobre disse:

    Essa estátua tem uma história muito bonita… Vou contar o que vcs ainda não sabem:

    Ela foi feita em bronze por um francês, um tal de Auguste Rodin… Só que Rodin não planejava fazer a estátua desta forma…

    Rodin era fã de carteirinha de Dante Alighieri, aquele italiano que escreveu a Divina Comédia, e queria fazer uma escultura de Dante passando pelo portão do inferno… Só que faltava inspiração para fazer a tal estátua… E cá entre nós, lapidar bronze deve dar um trabalho do cacete.

    Como todo humano que se preze, Rodin se aprofundava em pensamentos enquanto cagava. Seu banheiro não tinha trinco na porta e seu filho acabou entrando e vendo seu pai em posição filosófica-cagal. Não deu outra: O moleque desenhou o que viu e Rodin julgou que o desespero de Dante seria idêntico ao que ele acabara de passar. Juntou o útil ao agradável e ficou famoso graças e uma cagada e uma criança com um lápis na mão.

    O que é curioso é que a obra foi reproduzida mais de vinte vezes e ninguém sabe exatamente qual a original. O próprio Rodin fez duas versões menores antes de soltar a definitiva. Em Pernambuco há uma galeira com uma das cópias e há quem diga que é a verdadeira.

    Em breve será lançada em escultura do Preto Pobre em posição semelhante. Irá a leilão e os fundos servirão para comprar pão francês para cachorro quente.

    Na boa, que bosta…

    • André disse:

      PP. Bronze não se lapida. O artista esculpe um modelo em argila. A partir desse modelo e feito um molde e com esse molde se funde a escultura em bronze. O molde pode ser reutilizado, tanto que existe mais de uma versão de cada escultura de Rodin.

    • André disse:

      Só continuando. Não existe uma versão do pensador em Pernambuco, o que passou por aqui foi uma exposição da obra de Rodin, em que estava exposto, alem de uma das versões de “O Beijo”, uma das versões menores de “O Pensador”.

    • Preto Pobre disse:

      André,

      Brigadão pela explicação. Já tava com peninha dos dedos do cara… Moldar argila é bem mais fácil que lascar bronze… E um obrigado também pela explicação sobre a exposição. Agora nunca mais pagarei mico quando me falarem de Rodin e suas obras.

    • André disse:

      PP. Complementando a informação. O Instituto Ricardo Brennand, em Recife, possui em seus jardins uma replica autorizada de “O Pensador”, em tamanho ampliado. Aparentemente é a única réplica autorizada existente no Brasil.

  • Marechal disse:

    Na boa, se a gente parar para pensar mesmo, já deu merda.

  • GuilhermeCA disse:

    Na pior das hipóteses, estamos indo parar no “Admirável Mundo Novo” de Aldous Huxley.

  • Fernanda disse:

    Deu merda quando:

    a) Britney Spears ficou mais louca que o Bátima;
    b) Milley Cirus virou a nova Emy Winehouse;
    c) Justin Bieber nasceu
    d) Rebecca Black Nasceu
    e) o Funk surgiu.

    Lembrando que estes são provavelmente os pensamentos que atormentam a pobre estátua e que não estão em ordem cronológica.

    • Preto Pobre disse:

      Nanda…

      Não deu merda quando o funk surgiu não… Funk de raiz tipo James Brown é show de bola. O que cagou foi brasileiro meter a mão, impor que o nome daquilo seria funk e ficar por isso mesmo… Foi uma ofensa para a cultura musical chamar algo por um nome que jé existia… Ainda por cima aquilo.

      Outra coisa: Justin Bieber nasceu? Tu tá louca? Aquilo brotou de alguma ruma de esterco que ficou no sol por muito tempo…

      Milley não virou a nova Emy… Milley só quer aparecer. Ammy na minha opinião se compara com a Rebordosa. E cá entre nós, Ammy tinha uma voz de ouro, mesmo quando tava em modo “total flex”…

      Mas olha, resumindo de forma geral, tu tá mais do que certa viu?

  • Luke Lima disse:

    “ai minha prisão de ventre…”

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*