Mentirinhas #519 - Mentirinhas

16 de outubro, 2013 Postado em: Mentirinhas

mentirinhas_510Que seja eterno enquantOPA, acabou!

 

comentários

23 Comentários

  • Preto Pobre disse:

    Casamento para muitos(as) virou investimento… Tipo, não se casa por amor e sim por valor.

    Tenho uma irmã, a Jurema-topa-tudo que conheceu um cara que era 513 (171 vezes 3… 171 só para ele era pouco). O cara falou pra ela que era alto empresário de futebol e que negociava só com times europeus. Resumo: Ela não perdeu tempo e engravidou do cara. Acho que só perguntou o nome depois de estar grávida. Aconteceu que o cara como era 684 (opa, evoluiu mais um grau de 171) mentiu só para conseguir o corpo da Jurema e acabou confessando que não tinha dinheiro nem para comprar uma bala 7 belo. Bom, ferrado com ferrada da liga. Acabaram casando e um mês depois separaram. E por incrível que pareça, ela “tentou” aplicar esse golpe mais 3 vezes e todas tiveram o mesmo fim… Um dia ela aprende. Ou não.

    História 90% baseada em fatos reais. O parentesco e o nome foram trocados para proteger meu nariz de espancamentos…

    • Leilah disse:

      “No século XIX o casamento por amor passou a ser uma possibilidade, mas mesmo assim, se formos estudar a literatura da época, vemos que ainda há muitas uniões feitas por interesse ou outros motivos que não o amor romântico. No período do Iluminismo, por exemplo, ninguém queria ser escravo das emoções. A melhor descrição desse sentimento está no romance de Choderlos de Laclos, As ligações perigosas, em que o ideal romântico do amor é totalmente ridicularizado. A partir do século XX, todo mundo passou a casar por amor, o que começou a gerar expectativas diferentes – antes esperava-se que o homem fosse um bom provedor e que a mulher fosse uma boa mãe e dona de casa, e só. O casamento durava a vida toda, sem ansiedades nem grandes expectativas. Mas, com a união entre o casamento e o amor, passou-se a esperar que o parceiro também trouxesse realização afetiva e prazer sexual. E aí começam as frustrações. O amor romântico contemporâneo é calcado na idealização e traz expectativas e ideais que não se cumprem. Com a convivência, é impossível continuar idealizando o parceiro. A sedução se perde. Essa ideia de que o casamento será uma “fusão” de duas pessoas em uma só é uma mentira, cria uma dependência terrível entre as pessoas.” (Regina Navarro Lins)

    • Leilah disse:

      Ou seja: casamento por amor foi popularizado somente no século passado… não é de se admirar que tenhamos relações por interesse já que no principio da sociedade já era assim. Até entre os animais a maioria das relações é por interesse e acensão!
      …………………………………………………………………………..
      Mas mesmo depois de tudo ainda sou uma boba romântica que acredita em amor verdadeiro….

    • Preto Pobre disse:

      Leila,

      Será que se eu falar que vivi o século XVII e reencarnei só agora e devido ao estar preso a amarras estigmatizadas em meu perispírito, ainda tenho vícios carnais de fazer séquiço por prazer, sem laços afetivos e por pura diversão, a Gerusa me perdoa e vai concordar com a tese/teoria/paradigma/teorema da Regina Navarro? To achando que serei castrado até atingir o nirvana…

    • Leilah disse:

      Ai Preto… duvido muito que a Gerusa aceite, mas você pode tentar – devidamente vestido com uma armadura de titânio e depois de ter adquirido o poder de regeneração do Wolverine, lógico! – vai que cola né? Dá uns livros da Regina pra ela. Talvez ajude também. :p

  • Jane C. disse:

    Sempre pensei que se algo desse errado, se eu tivesse ciúmes ou se meu marido olhasse torto pra mim , além de levar uma bifa eu me divorciaria. hoje vejo que não é bem assim, tenho 4 anos de casada, brigo se possivel todos os dias , marido não toma jeito e nem eu. e não me vejo longe daquele homem. Casamento perdeu sim os seus valores, ou ganhou como disse preto pobre. Mas eu não perco a fé. em mim , nem no meu mozão nem na familia.

  • Rosangela disse:

    Adoro a Sexóloga Regina Navarro, o livro dela a cama na varanda é muito bom.
    Existem 1001 motivos de um casamento não dar certo. Mas existem algumas coisinhas que se pode fazer pra dar certo.
    * Respeito pela companheiro é uma delas, entender que ele é um ser com problemas, manias e defeitos igualzinho a você.
    * Não existe outra metade da laranja, existe outra parte que vem somar e não “fundir”. Quando casa não vira 1 ser, são 2 juntos pra somar, multiplicar e dividir. ahhh o dividir é difícil e como é difícil :(

    parece até que estou virando sexóloga rs mas resumindo tudo…não tem receita pra casamento dar certo, cada caso é um caso, mas que seja eterno e feliz enquanto dure. 😉

    • Preto Pobre disse:

      Fábio Júnior e Gretchen que o digam né?

    • Patricia disse:

      Penso em casar um dia, mas nem tão cedo… Entretanto, acho que como solteira é bom me preparar pra esse UM DIA… Gosto muito de livros sobre o assunto e um dos que mais gosto é de Gary Chapman “O que não me contaram sobre casamento”… Tem uma coisa que ele fala logo no começo do livro que é central… A ideia é mais ou menos que muita gente se prepara para o dia do casamento, arruma a festa, os melhores vestidos, cabelo, maquiagem, música MAS não se prepara para a vida a dois, que é isso que é o casamento: o dia a dia. Aí se casa pq ta apaixonado, sem imaginar que um dia a paixão acaba e a maneira que você lida com isso e transforma o dia a dia em amor DE VERDADE é que vai fazer um casamento bem sucedido.
      E tem que lembrar: casamento são DUAS pessoas diferentes, que pensam diferente, mas que querem construir algo jutos. OS DOIS precisam querer, se envolver… O relacionamento pra durar e ser bom de verdade precisa do compromisso dos dois, e não colocar tudo nas costas de um…
      Algo que já me disseram e é verdade: Se você pensa em casar mas já pensa no que pode acontecer e que vai se separar, não case. Não vai dar certo. É muito melhor continuar solteiro, pensando e amadurecendo do que enfrentar um divórcio e toda a frustração que ele traz.

  • GuilhermeCA disse:

    Ainda prefiro pensar em duas pessoas juntas, não são marido e mulher, são amigos, brigando ou se amando. Prefiro ter uma relação com a pessoa que seja quase um casamento, mas não teve nada que o oficializa-se, estamos juntos porque queremos, não porque fizemos votos, embora eles já foram feitos inconscientemente . Ainda teríamos algumas discussões e crises, todo o casal tem, mas (se ela for a certa e eu o certo para ela) iriamos superar isso.
    Sou ingênuo ao ter esse pensamento?

    • Rafaella disse:

      Guilherme, eu ten ho esse exato pensamento. Meus pais não são casados oficialmente e isso não os impediu de viver juntos por mais de 25 anos mesmo com tantas brigas.

      Pra mim namorado ou marido tem que ser tipo um melhor amigo com um pouco mais de contato físico.
      E é justamente isso que dificulta muito pra mim achar alguém com quem eu queira namorar… todo mundo só quer saber de flores e frescuras e anéis e quer sempre grudar em você e praticamente controlar sua vida assim que se “oficializa” o relacionamento…

    • GuilhermeCA disse:

      Fico feliz em ver um casal assim, como os seus pais estão agora?
      Eu acho que o mundo perdeu um pouco o romantismo, de um lado ficam os aproveitadores (não ligam para amor) e do outro ficam os exagerados que sempre se machucam em relacionamentos e tem outro que ficam aqueles que não querem nada. Acho que o correto é romantismo profundo e apaixonado (não o exagerado e carente, mas aquele especial) com a mesma informalidade e diversão (além de apoio) que dois amigos possuem.

    • Patricia disse:

      O ato de CASAR, é só isso, um ato. Um dia, um momento. O casamento, é o dia a dia… Isso que você ta descrevendo é o casamento, o dia a dia de um casal que tem uma relação saudável. Brigas podem acontecer sempre. É a maneira como você lida com elas que diz se vc vai ter um casamento bem sucedido ou não.
      Por isso existe o namoro. Para o casal se conhecer. Saber o que o outro pensa, como se comporta, se é uma pessoa que se compromete, quais os planos, se quer ter filhos, o que pensa e o que quer da vida. Mas hoje namoro virou sinônimo de sexo, sexo, sexo (química é importante, mas não é a única coisa que vai te dizer se você deve casar com a pessoa ou não) e de gravidez indesejada.
      Aí se casam sem estar prontos, vem os filhos e a relação se desgasta sem nem ter tido a chance de amadurecer. E aí vem a separação, a guarda compartilhada (na melhor das hipóteses)… E é um ciclo sem fim…
      Tudo isso porque não pararam e pensaram de verdade…

  • Mais um na multidão disse:

    Sou totalmente contra a tirinha…
    Casamento assim como os valores religiosos se perderam totalmente nesta nova era, motivo : o medo.
    Antes as pessoas eram temerosas a Deus, hoje? é uma piada…
    Quem fosse pego traindo no casamento era quase torturado / humilhado…hoje é motivo de glória na roda de amigos;
    Quem antes casava virgem era uma pessoa pura, hoje é encalhada ou tem algum problema;
    Os pais antes mesmo cansados de 16 horas trabalhadas, ajudava o filho no dever de casa…hoje a internet e a tv ensinam a criança…
    a criança tinha medo de ir mal na escola e apanhar do professor por fazer bagunça, hoje tem medo de nao fazer bagunça e apanhar dos coleguinhas…
    O mundo perdeu seus princípios porém eu não irei perder os meus

    • Ateu, e daí? disse:

      Pelo que eu entendi, na sua opinião o ideal eram as pessoas viverem com medo, então?

    • Uma pessoa que veio responder disse:

      Mas seus valores não tem nada a ver com estar contra ou a favor da tirinha, moço… A tirinha é só pra satirizar que as pessoas casam e descasam com muita facilidade. Tá, tá certo que a tirinha retratou um casamento no religioso, o pastor/padre disse “Amém” no final, mas casar e descasar super rápido também acontece nos casamentos realizados em cartório.

      Então, os noivos nem conseguem curtir a alegria da festa porque o relacionamento deles tem uma raiz tão podre, seja por interesse ou por idealização das partes, que já estão recebendo propostas dos advogados para se separar. A tirinha quis mostrar isso, não incentivar.

  • Thatï disse:

    É… hoje em dia os casamentos acabam antes dos noivos terminarem de pagar as parcelas da dívida da festa.

  • Mais um na multidão disse:

    dúvida….esta tirinha tem algo a ver com os direitos humanos?
    Achei q o coala faria algo similar ao Willtirando e muitos outros….

  • Rui disse:

    Eita, casamento moderno!

  • Nanda Soares disse:

    Adoro as tirinhas do Coala, mas tenho que confessar que passo nessa parte dos comentários quase sempre para ver as histórias do Preto!
    srsrsr

  • Ana Cláudia Marques disse:

    Oh, um padre realista.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*