Mentirinhas #497 - Mentirinhas

06 de setembro, 2013 Postado em: Mentirinhas

nao_julgue

comentários

38 Comentários

  • Deko disse:

    Sei la….acho…SO ACHO…dos três ali, é capaz de alguem ir pro paraíso e nem acredita nisso..Oo”

  • Rodrigo (yshitsu) disse:

    Corrija o sábio, e o fará mais sábio, corrija o tolo e o fará seu inimigo

  • ErvinhaVV disse:

    Olha na minha opinião..isso não se restringe aos “crentes”,eu trabalho com muitas pessoas que agem assim…eu mesma ja devo ter feito..falado..alguma coisa do tipo ha alguns anos ..hoje em dia minha filosofia..”Cada um é feliz do jeito que pode ” se baseia em parte no que vejo no meu dia a dia .
    No mais que Deus ajude a todos .

  • Preto Pobre disse:

    Bom, apesar do meu nick ser Preto Pobre, não sou afro descendente (sou branquelo que nem papel alcalino) e quanto a ser pobre, bem, não sou rico mas também não to com a barriga na miséria. Enfim, classe média e mero mortal.

    Eu luto Karate faz 22 anos e certa vez fui em um campeonato que parecia que tinham passado carvão no tatame. Sai de lá uma carniça e naquela época eu tinha cabelo grande (detalhe: meu cabelo parece estopa do colchão que satanás deita). Como tava virado no capiroto de tanta fome, fui de kimono e tudo pro Mc Donalds pra comprar alguma coisa pra comer (tava de kimono, faixa e tudo). O segurança me barrou e falou que eu não podia entrar, que ali era lugar de ente decente. Achei que o kimono tinha rasgado e eu tava de benga de fora, mas não era nada dakilo… Tentei argumentar e ele falo que se eu não saisse ele ia ter que agir de de outra forma. Ele simplesmente me empurrou e sem querer bati em uma criança que caiu de costas e bateu a cabeça. Tumulto gerado… Minha vontade foi de dar um fatality no cara, mas segurei a onda e sai. Fui pra casa, tomei banho e fiquei lindo de morrer. Voltei no mc Donalds e perguntei ao gerente o que tinha acontecido. O desgramado me falou que um mendigo drogado todo cheio de gangrena tinha tentado entrar e estava assediando clientes…
    Me senti estranho com aquilo… Fico triste em saber que a alma de alguns seres humanos são tão corruptas e conseguem julgar seus semelhantes tão facilmente e geralmente de forma depreciativa…
    Poderia ter colocado na justiça e com certeza ganharia o processo, mas deixei pra lá. Consegui encontrar a criança que machuquei (morava no prédio do lado do meu, já tinha visto mil vezes) e dar todo o suporte que pude.

    Como diria Maria- Cachimbo: Aquele que julga a capa pela aparência é um analfabeto. Aquele que olha pro conteúdo e procura só gravuras bonitas, é um analfabeto. Aquele que olha para o conteúdo, lê e absorve o melhor do que está escrito, esse sim aprendeu como se deve ler. E ela não se referia a livros…

    • Liana disse:

      já passei por essa de preconceito por causa das aparencias…

      quando tou no Brasil tou sempre muito a vontade, de havaiana e tal… entrei numa loja do boticario e uma vendedora me ignorou por completo… outra foi bem atenciosa… comprei horrores de perfumes e a outra ficou de cara mexendo por perder a comissao!

    • Ana Cláudia Marques disse:

      Que pena que você não aproveitou para desmascarar o segurança…

    • Nanda Soares disse:

      Obrigada pelo esclarecimento. E aumento o coro de que vc devia ter feito algo sobre a situação pela qual passou.
      =D

  • Nanda Soares disse:

    Se a história do Preto Pobre é ou não verdade, faz realmente todo sentido, Principalmente o final.
    Eu trabalho em shopping e sempre fico impressionada em como as gurias conseguem arrumar alguma coisa para falar de todo mundo que passa. Bonito, feio, estranho, esquisito, cabelo horroroso e assim vai…
    A citação da Maria-Cachimbo é fantástica e casa muito bem com a tirinha.
    Muito boa Coala.

    • Preto Pobre disse:

      Nandinha, só para esclarecer:

      Eu conto muita lorota aqui no blog, mas essa história é 100% verdadeira.

      Maria – Cachimbo é uma amiga muito queria que trabalha em uma barraca de x-tudo e cachorro quente no largo da carioca no Rio de Janeiro. Claro que eu adaptei o que ela disse, mas o contexto é dela.

    • Preto Pobre disse:

      *querida

  • Bruno disse:

    Lição do dia: A forma como você se apresenta é muito importante! Se o mendigo tivesse se apresentado como Mister J ganharia o apreço das mulheres e ainda levaria um trocado. 😀

  • Sylvia Tamie disse:

    Enquanto isso, tem muita gente acreditando em quem se diz “apóstolo” só porque está de terno, cabelo gomalinado e Bíblia de capa de couro preto na mão. (Será que essa gente nem sabe que existe Bíblia com capa normal?)

  • Newton disse:

    Coala, tem um erro no último quadrinho. O correto é “daqui a pouco”, e não “daquia a pouco”.

  • Camila disse:

    Alguém avisa essas duas que na época que Jesus existiu (se é que existiu) ele costumava vagar por aí, todo maltrapilho, pelo deserto, filosofando sobre umas paradas meio doidas, e poderia facilmente ser confundido com um mendigo drogado, ou coisa que o valha. Lição do dia: O mendigo doidão de hoje é o profeta de amanhã. Ou ainda: os sábios só ficam famosos depois de uma morte horrível e muito marketing.

  • Fex disse:

    “Não julguem para não serem julgadas” é uma coisa estranha pra um ateu dizer… porque traz implícita a ideia de justiça sobrenatural: carma, justiça divina, equilíbrio do universo, algo assim. E normalmente estes conceitos estão ligados a algum tipo de crença em uma divindade.

    Casuisticamente, muita gente julga sem ser julgada, rouba sem ser roubada, mata sem ser morta…

    Claro que a espiritualidade é mais complexa, não acreditar em Deus não necessariamente faz dele um ateu. Sei lá.

    • Ateu, e daí? disse:

      Mas existem ateus que acreditam em carma, equilíbrio do universo, e afins…

      Sim, para ser ateu basta não acreditar em deuses, não é necessário ser cético em relação a tudo.

    • LucasM disse:

      isso é um equivoco, não precisa acreditar q existe uma força trazendo coisas boas pra vc por fazer o bem. existe uma lógica nesse ditado q eu sigo, pq se eu julgo, estou aumentando o numero de pessoas que querem fazer isso tb, então se eu deixar de julgar alguem, eu acabo incentivando as pessoas a minha volta a não julgar os outros. pura lógica!
      por isso q eu ajudo as pessoas e busco ser uma boa pessoa, eu gostaria que todos fossem assim comigo tambem, então no minimo eu tenho q agir de acordo com oque eu quero receber

    • Bruno disse:

      Bom, esse lance de ser ateu tem o significado próprio da palavra em etimologia e também tem o significado já fixado no entendimento popular. Parar ser ateu, basta não acreditar em Deus(es), mas o mais difundido é a compreensão de uma pessoa que não acredita em nada. Só fazendo um adendo, vale lembrar que grande parte do que temos como ciência hoje, um dia já foi visto como algo místico, como os relâmpagos e trovões.

    • Ateu, e daí? disse:

      Por “acreditar em nada”, imagino que você queira ter dito “não acreditar em nada sobrenatural/místico”.

      Afinal, com tanta coisa existindo, seria esquisito alguém acreditar literalmente em nada não é mesmo…

  • Rosildis disse:

    Que horror, preto pobre…
    Já passei raiva algumas vezes com gente me tratando mal por me achar com cara de pobre. Vai ver é por causa do meu cabelo cacheado, e como gente escrota faz péssimas associações a qualquer traço de negritude (imagina com negros inteiros, que horror deve ser).
    Mas algo desse tipo, putz…
    Uma vez tinha um moleque pedindo comida num Giraffas onde eu fui, eu estava sozinha. O povo de restaurante tava tentando expulsar ele. comprei uma promoção farta pra ele (que a diferença de valor era pequena) e ele ficou impressionado. Aí pra minha surpresa, ele veio sentar na minha mesa! Era um moleque muito maneiro, contava muitas piadas, era bem divertido e me contou que ia muito bem no colégio. Contei algumas piadas pra ele e tive uma conversa muito boa com uma criança muito boa e sonhadora. O povo em volta ficava meio incrédulo com a situação, sei lá. Foi dahora. É uma pena que as pessoas estejam tão preocupadas em julgar pela aparência.

    • Ana Cláudia Marques disse:

      Muito legal de sua parte você ajudar o garoto que provou ser um carinha gente boa. Mas vem cá: se frequenta escola então deve ter quem olhe por ele, portanto como é que vai se expor ao constrangimento de pedir comida numa lanchonete? É até arriscado para ele! Será que os pais (ou responsáveis) sabem disso?

    • Rosildis disse:

      Não sei, Ana Cláudia. Mas pelo que ele me contou, frequentava uma escola publica e a mãe estava vigiando carros num estacionamento. Tem muita gente batalhadora que tá na miséria mas sabe o caminho das pedras para uma vida melhor, sabe que pra ele mesmo não tem mais saida e querem que os filhos tenham uma vida melhor.

  • Doido disse:

    Todo mundo sabe que existem muitas pessoas assim. Só espero que um dia as pessoas mudem sem que ninguém que se pareça com Jesus tenha que te avisar que não se pode julgar os outros

  • De Marchi disse:

    É a cara do brasileiro essa tira!!
    Julga muito e não se olha.

    • Ana Cláudia Marques disse:

      Não sei não, acho que isso aí é mais inerente à natureza humana, independendo da nacionalidade…

    • Miranda disse:

      Ahh, não é bem assim não. Se aqui julgamos entre brasileiros, em outros países somos tratados como lixo. Ser chamado sul-americano em alguns lugares do mundo é quase um sinônimo de palavrão!

  • Luke Lima disse:

    tá fássil não…

  • Lays Morais disse:

    Aí que está non existem só cristãos assim, na verdade todos somos se crermos em Deus, a questão aqui são as pessoas, que só criticam e nada pra elas está bom!

  • ... disse:

    A humanidade me enoja, e doeu ainda mais quando vi o comentário do preto pobre em pensar que meus pais são assim piora ainda mais.

    • ...² disse:

      Ahh…você nem imagina o quanto me irrita quando minha mãe critica alguém…o pior de tudo é que ela fala entre os dentes, achando que ninguém está ouvindo.

  • Miranda disse:

    Eu admito, às vezes me surpreendo julgando os outros. Quando percebo o que fiz, olho para os meus defeitos (que não são poucos) e lembro que não sou melhor que ninguém e não tenho o direito de julgar ninguém. Quando percebo que estou sendo julgada, prefiro “ligar o foda-se”, seguir em frente, cabeça erguida porque sei que, também, ninguém é melhor que eu!

  • Rafael Soares disse:

    Deu ataquezinho de ateu de internet no Fábio Coala, foi?

  • Rui disse:

    Tem gente que nunca muda, e durante toda a sua vida, agarra-se a este tipo de comportamento para com as pessoas mais fracas. Essas pessoas têm que ser sempre as maiores, e para elas, os mais fracos são sempre lixo.
    O problema não é a religião, nem Deus. DEUS NÃO É O CULPADO. Deus é bom.
    O problema são as pessoas falsas, e a missão que elas fazem crer às pessoas inocentes que têm no Mundo. Essa gente não vale a pena….

  • Aline disse:

    Gostei bastante dessa tirinha. Tô conhecendo o site hoje e achando bem legal.

    Lendo as histórias aqui, me lembro que recentemente minha mãe fez uma excursão com o pessoal da igreja dela. Quando ela chegou, ela me contou como algumas pessoas se comportaram de forma nada cristã. O que adianta viajarem para conhecer lugares santos se se comportam como pessoas mesquinhas e egoístas? Tem que ter muita paciência com a hipocrisia das pessoas.

    Beijão, sucesso aí no site.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*