Justiça - Mentirinhas

16 de maio, 2014 Postado em: Hq

justicaB

justica

comentários

31 Comentários

  • DiabloOFGod disse:

    Que triste e legal.

  • Ricardo da Facul disse:

    Sinceramente eu não sei bem como comentar essa tira. Na hora que li veio tanta coisa na cabeça, justiça com as próprias mãos, o nosso dia a dia, pessoas que convivemos diariamente…juro que se todos tivessem um monstro pra falar que a mistura de sentimentos como o ódio e o desprezo, nos torna criatura horripilantes e tenebrosas. Ou melhor, acredito que todos nós temos um monstro conosco, só precisamos deixar ele falar.

    Ainda sonho com um mundo mais justo e menos árduo.

  • Doug disse:

    Pois é….. só que a justiça de verdade daqui não funciona… a pessoa que vai pra cadeia, quando sai, na maioria das vezes volta pior do que estava…. não concordo muito com essa “justiça” que o povo esta fazendo, mas dizer que simplesmente jogando o cara pra cadeia tá tudo certo, nas atuais condições , é jogar a sujeira para debaixo do tapete.

    • Fábio Coala disse:

      O menino está certo: nós somos a justiça! Nós somos as leis, nós somos as cadeias, nós somos os políticos, nós somos a educação, nós somos a caridade, nós somos o exemplo, nós somos a humanidade.

    • Alberto disse:

      Humanidade, palavra estranha atualmente, com tantos acidendes provocados por pessoas bêbadas, população saqueando a própria cidade por que a policia está de greve, estádios super faturados junto com os hospitais, só que faturado de humanos sem atentimento.

    • nynycius disse:

      A moralidade da sociedade é a nossa moralidade. A reação contra o crime, ou seja, a justiça nada mais é do que a vingança da moral ultrajada contra os ultrajantes, que deveria ser por intermédio das instituições.Não reprovamos o ato por ser um crime, é um crime pois o reprovamos.
      Um velho barbudo disse isso
      O pai pai noel ?
      Não, foi o Frances Emile Durkheim por volta da decada de 1890, se não me engano

    • Marechal disse:

      Está certo, Coala: se a justiça é deficiente, e o governo corrupto, é porque nós, o povo, somos desleixados e corruptos. Se as Leis são frouxas,a educação ineficiente (ou inexistente) é porque não cobramos nossos eleitos para melhorá-las. Os que estão no poder são o espelho daqueles que os elegem, e só nós podemos mudar isso.

  • Samuel disse:

    Fantastico! Há muito tempo grandes pensadores vem batalhando pelos direitos à vida e à justiça e muitas pessoas entram nessa modinha de linchamento pelo sentimento de vingança/ódio, sem pensar que ali do outro tem um humano, que talvez não teve uma base, uma condição melhor pra ser alguem de bem!

    • André disse:

      Um cara que invade a sua casa por causa de uma dívida de 180 reais, pega duas crianças de 9 e 13 anos, amarra, queima a casa com as crianças dentro, matando-as barbaramente não é um ser humano (fonte).

      Vocês adoram pensar nos direitos dos bandidos. Depois de cumprir a pena na prisão, as crianças ainda estarão mortas da forma bárbara que foram. Onde está o direito delas?

    • Luísa disse:

      André, eu entendo os teus sentimentos, e acredito que os bandidos devem, sim, ser punidos por suas maldades; o problema é que vingar as crianças não vai traze-las de volta.

  • Owhn…. O Monstro esta tão …. bonitinho nessa =P!

    Fantástica tira ^^!

  • Alex Arantes disse:

    Eu já propus essa discussão várias vezes, sempre sem resultado… Mas realmente, onde está a linha que separa a justiça da vingança? Sempre, SEMPRE que eu vejo alguém falando sobre o assunto, usam a palavra “justiça” com um ódio na boca, quase espumando de raiva. As pessoas falam de um jeito extremamente sádico o quanto elas adoram ver a pessoa q praticou o mal sofrendo, gritando, chorando.

    Será q é por aí mesmo? Pra muita gente, a “justiça” nada mais é do que a vingança da sociedade. Acho esse sentimento errado, e parece que eu sou minoria…

  • Joker disse:

    Todas as falhas de um país são reflexos de seu povo. E se um povo, cujo poder de raciocínio está abaixo do esperado para o que se tem como “gente desenvolvida”, aceita que a justiça é um direito de expressar suas irracionalidade e raiva inerentes, então não há como sair do círculo vicioso no qual ele se encontra. Quanto mais o povo cai, mais seu governo cai.

    Entre justiça de verdade e “justiça” com as próprias mãos há um abismo de distância. E não é com o discurso de que a justiça não funciona (uma verdade inegável, contudo) que se pode justificar a descida de uma sociedade civilizada aos tempos medievais. Isso é uma desculpa para passar dos limites, para extravasar sua animalidade, para “ter um aval” a fim de se transformar naquilo que diz combater.

    Se um povo quer que a justiça funcione, cabe a ele fazê-la funcionar, seja ele mesmo entrando para a justiça e melhorando-a por dentro, seja elegendo (e exigindo de) melhores políticos, ou até mesmo cobrando dos meios de comunicação uma maior cobertura acerca dos podres governamentais. Afinal, enquanto o povo suja a mão de sangue, o político tem um dever a menos para se preocupar.

    Mas esse é um processo muito longo, e está nisso seu maior empecilho. O povo não tem paciência para construir, e há muitas distrações em seu caminho.

    No jokes.

  • Cesar Borman disse:

    Esse é um assunto muito complicado. O que é justiça e o que é vingança? Como alguns anos na cadeia (vivendo a nossas custas) repara o dano causado a uma família que perdeu seu patriarca, por exemplo? Claro que linchamentos públicos sem ao menos um julgamento estão errados, mas a população chegou em um nível onde não aguenta mais esperar por uma mudança que não vai acontecer. O país, em sua maioria, está corrompido, mas os que não se entregaram ainda querem uma resposta.

  • Carlos V disse:

    Tá inspirado esses dias, heim, Coala?!
    É isso mesmo: NÓS (em maiúsculo mesmo) somos a justiça, as leis, a educação, as prisões, a bondade, o ódio… seja em nossas grandes atitudes, seja em nossos pequenos atos, que, de um jeito ou de outro, servem de exemplo (e sempre servem de exemplo) para os outros.
    Se não me engano, foi Gandhi quem disse: “Seja a mudança que deseja ver no mundo”.
    Ninguém disse que é/será fácil, e, no início, certamente será um caminho um pouco solitário, mas eu ainda acredito que seja possível.
    😉

  • Thiago chipset Andrey Ferreira disse:

    Acabei de ler a ultima HQ de Walking Dead – Guerra Total, e vi algo semelhante a esse pensamento.
    Ou seja. Rick Grimes tem um monstro.

  • Milani disse:

    Mais uma vez fiquei reflexivo… respeito os comentários sobre a atual sociedade e todo o seu contexto, mas como o Coala já explicou várias vezes, casa tirinha faz sentido de forma diferente para cada um… para mim soou mais como o quanto agimos por convicções, por valores, por pré-conceitos, sem analisar se aquilo realmente é correto… e até mesmo analisar o que forma o nosso “é correto”… vale a pena pensar no quanto EU consigo ter racionalidade no que faço para que quando EU virar NÓS consiga ter convicção de que faço algo por minhas escolhas, não pela direção da massa. Parabéns Coala, mais um dia pensando sobre a vida…

  • Fabrício Pires Obregon disse:

    O que o jacarezinho feeeeeeeez? Coitado do jacarezinho, acho que foi injustiçado.

  • Luke Lima disse:

    Tanto estudo “evolutivo” e tudo que vejo é uma sociedade degenerativa, os fachos de luz ainda existem, mas aos pouco se apagam, o que acontece quanto o ultimo se extinguir deve ser sombrio demais pra se colocar só em palavras.

    • Marechal disse:

      Na sua metáfora está a resposta,,, quando a luz se extinguir, virá uma nova ‘Idade das Trevas” (que já foi conhecida como Idade Média).

  • lucas disse:

    muito boa coala
    genial!!!

  • Nanda disse:

    @Leandra Carneiro. O monstro está com mais texturas com efeito de luz e sombra, a cor dele parece mais clara assim e os olhos mudaram. Compare mentirinhas.com.br/tao-parecidos/

  • Eu disse:

    Para quem já foi assaltado mais de vinte vezes no ultimo mes….
    Não sei se concordo com essa comic não.
    Furitiba é Coda……

  • André disse:

    Então, o Jacaré foi condenado a ficar 30 dias em cana, saía nos fins de semana por causa dos indultos, foi libertado antes do prazo por bom comportamento. De cada 10 jacarés libertos, 8 continuam a ser vilões.

    Mas temos que ser bonzinhos.

    • Fábio Coala disse:

      Não, podemos ser maus. É mais fácil matar uma ou duas baratas por dia do que varrer embaixo do fogão, jogar o lixo fora, arrumar os encanamentos, limpar a caixa de gordura…

    • Ateu, e daí? disse:

      Sim, a grande maioria dos presos quando é liberta volta a cometer crimes. E isso demonstra o que? Que o sistema carcerário deve ser ainda mais rígido ou que da maneira como ele está não parece estar funcionando em seu objetivo de ressocializar o cidadão?

      E é claro que isso é questão de educação básica também. A maioria das pessoas que vão presas não tinham a menor perspectiva de futuro pessoal ou profissional quando decidiram entrar para o crime. Por que depois de sair de uma cadeia como as que existem nesse país ele estaria diferente, melhorado de alguma maneira? A maior probabilidade é de que ele esteja ainda pior do que quando entrou. Tem-se essa ideia de que a cadeia não deve ser um hotel de luxo, que o bandido não tem que ter mordomia, afinal, ele está lá pra ser castigado, mas se esquece que um dia esse cidadão irá sair da cadeia e vai voltar para a sociedade que o colocou lá. É realmente alguma surpresa que ele volte a cometer crimes depois disso?

      As cadeis nos países da escandinávia são muito mais humanizadas. Lá elas se parecem com hóteis, os presos são bem tratados e recebem aulas dentro da cadeia. E verifique se o nível de reincidência lá é parecido com o nosso…

    • Ateu, e daí? disse:

      Não, não, temos que desumanizar os presos, tratá-los como animais e não dar a eles condições básicas de melhoria de vida quando eles saírem da prisão.

      Certamente é isso que fará com que o índice de reincidência dos presos baixe… ¬¬

    • Rafael disse:

      Viajou, Coala. A culpa nunca é também de quem deveria fazer a faxina, ou dos que deveriam zelar para que não tenha ainda mais sujeira. É só da barata, afinal ela não deveria estar ali sem ser convidada…
      Aliás, acho até que é uma abiogênese, pois essas baratas surgem “do nada”, completamente deslocadas da nossa sociedade cheia de moral e valores, cumpridora das leis, benevolente, em que os empresários milionarios pagam salários sempre justos, e por aí vai. [/off ironia]

  • Ninah Fleur de Lis disse:

    Falam muito em cadeia para recuperar os bandidos para conviverem novamente em sociedade. Eu vejo cadeia como lugar para pagar pelo erro. Um ser humano é morto por banalidade e condenado a virar o nada. Seus sonhos são cortados, sua história e finalizada estupidamente, e o fulano, causador da desgraça, da infelicidade de famílias inteiras vai pra cadeia pra ser recuperado? Não defendo as condições que as cadeias se encontram hoje em dia, mas recuperar uma ova! Pague o que deve.

  • Clarissa disse:

    Existem pessoas que são “efeitos colaterais” de nossa sociedade. São pessoas animalizadas, como um cão de briga que, depois de tanto apanhar, se torna violento gratuitamente. Se fosse uma questão de caráter, seriam em menor número, casos de sociopatia mesmo.

    Algumas pessoas poderão dizer “mas eu também tive dificuldades na vida, e venci!” E estas deveriam ser as mais compreensivas, pois sabem o quanto foi difícil, e quantos ficaram pelo caminho!

    Não adianta só “tratar o problema” com linchamentos e “justiça”, temos que mudar na base! e a base somos nós! E que tipo de base somos?! Cabe a cada um pensar em si!

    Quanto aos “efeitos colaterias” que já existem, acho que, para aquele que realmente se arrepende, deve haver misericórdia! Mas como se arrepender de algo que está tão banalizado quando a violência?! Até os que fazem “justiça” usam ela! Como explicar para alguém que violência é algo errado então?!

    • Luísa disse:

      Clarissa, o teu comentário foi o mais sensato de toda esta lista. Concordo com cada palavra.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*