Audazes #7 - Mentirinhas

31 de janeiro, 2014 Postado em: Coala, Hq

coala_bomba7banner

coala_bomba7Pior foi o cara ligar no quartel reclamando dessa piadinha que fiz com os cachorros dele. Não é FÀSSIO ser bombeiro!

comentários

25 Comentários

  • Deko disse:

    Aêêêêê!! AUDAZES!!!

    So faltou o cara cobrar grana “pra gasolina do carro dos bombeiros” O_o”

  • Thaissa disse:

    Kkkkkkkkkkkkk!! Imaginei a cena!!! Pô Coala, um homem do seu tamanho com medo de um bichinho desses? hahahahahaha!!

    • Fábio Coala disse:

      O Capeta trocou o cão de 3 cabeças que guardava a porta do inferno e colocou um saruê.

    • Preto Pobre disse:

      Para minha surpresa, saruê é a mesma coisa que GAMBÁ DE ORELHA PRETA!!!!

      http://pt.wikipedia.org/wiki/Gamb%C3%A1-de-orelha-preta

      FOI ESSA CRIA DE SATÃ QUE ME FEZ PASSAR PELO QUE PASSEI NA HISTÓRIA AI DE BAIXO!!!!

      Entendi agora… Orelha preta, preto pobre, tudo preto… tudo orelhudo… tudo pobre… O bixo tava era apaixonado por mim!!!!

      Agora só de sacanagem vou por pilha: Coala… Saruês são marsupiais também…. tu resgatou um primo de segundo grau. Por isso que tava na pressão para ir no resgate né? Muita coisa faz sentido agora…

    • Deko disse:

      é a primeira vez que leio o nome “Saruê”

      Na minha terra é popularmente conhecido como “Mucura” alem de adorarem subir nos telhados das casas

  • Preto Pobre disse:

    Tá falando sério que tu soltou aquela que tá escrito no último quadrinho? Se foi verdade, valeu a pena ter sido dilacerado pelo bixinho das trevas.

    Essa tirinha me lembrou uma história (novidade né?):

    Eu estava me separando do primeiro casamento e tive que descer o morro com uma bolsa imensa no ombro… E isso era de noite pq sai de casa depois de um dia de trabalho. Bom, descer a ladeira com 500 quilos no ombro já não é nada fácil, e em certo momento, tive que passar por um pedação que tava sem luz. Conhecia o caminho bem e fui no instinto. De repente algo fez baruto numa moita que tava ali no canto. Estranhei e juro que não fui conferir. Tinha luz mais a frente e apertei o passo, mas o barulho me acompanhava. Comecei a pensar que eu tava peidando sem sentir, mas como era improvável, me virei para ver se era algo arrastando, se minhas cuecas estavam caindo da bolsa ou algo assim… e eu vi… meninos eu vi: Dois olhos satânicos brilhando no escuro. Nesse momento acho que me peidei sem sentir mesmo. Tentei correr mas não dava. Andei rápido e cheguei à luz. Virei de novo e vi… meninos eu vi: Um gambá que devia ter uns 14 metros e 40 centímetros (na hora do medo eles ficam maiores, sabiam?). Nesse ponto me caguei de medo. A desgraça do gambá tava atrás de mim!!! Já pensou se fosse por causa do cio? Juntei forçar e corri. Preto Pobre, recem divorciado, com uma mala pesada que era um trem, correndo de um gambá…. O pior estava por vir…

    Outra zona de escuro: Que se dane… eram 10 metros… Só que algum filho duma rona e fuça vumitou bem no escuro… E adivinha???? Preto Pobre escorregou no vômito!! E eu tava de Havaianas!!! Torci completamente o dedão e me esborrachei de costas em cima de arroz ruminado. O osso da articulação do dedão ficou exposto e pra acabar de me lascar o gambá me alcançou e deu uma senhora esguichada de marshmalow flor do arco iris na minha cabeça.

    Não sei pq o gambá fez aquilo… Provavelmente foi praga de ex sogra. Sei que peguei a bolsa e o que sobrou de mim e fui me arrastando para casa da minha mãe. Cheguei lá e quase matei o povo de fedor. Tive que ir pro hospital para tratar do dedo e da minha moral que estavam ambas fraturadas…

    Moral da história: Quando se separar, nunca escorregue no vômito alheio. É uma das coisas mais nojentas que existem no mundo contemporâneo.

    Coala, com ontem tive que ir ajudar um amigo a empurrar um Chevette, não pude ver a entrevista… Depois solta o link pra nós?

    • Rosildis disse:

      cacete, cara, COMO tu consegue tanto causo escrotinho junto? tu deve estar inventando, só pode. Isso ou vá ter azar assim lá na…

      Também já levei uma reclamação abobada e nem foi por fazer gracinha. O cliente da empresa (publica, sou servidora) estava insistindo em pedir algo que fugia às normas e ficou perguntando se podia entrar com requerimento. Eu dizia que ele podia entrar, mas que provavelmente a empresa não aceitaria. Até que chegou uma hora que eu disse algo do tipo “então o senhor faça o que você achar melhor, porquê eu já dei todas as orientações possíveis e agora só depende do seu entendimento sobre o que é mais conveniente”, na maior paciência do mundo… E não é que o cara fez uma reclamação na ouvidoria porquê eu disse que ele era livre pra exercer a própria consciência!?
      Depois dessa tomei mais cuidado ao apontar direitos óbvios, vai que algém resolve me processar por eu dizer que “aos cidadãos brasileiros é livre o trânsito em todo o território nacional em periodos de paz” ou coisa do tipo.
      Ainda sobre reclamações esdruxulas, teve uma colega minha que uma criatura cara-de-pau (que estava tentando algo até ilegal em um processoa administrativo) que UM ANO DEPOIS entrou com uma reclamação dizendo que não gostou da cara que a coitada da colega fez, ou algo do tipo. comédia atender essas coisas.

  • Marechal disse:

    Grande Coala… estava com saudades da série “AUDAZES”.
    Saruê é um bixim bunitim que tem aos montes na área que eu trabalho (Alemoa). Quando eu trabalhava na tancagem, sempre encontrava pelo menos um acomodado na passarela das valvulas, e, pra não incomodar, eu descia pelo dique e subia pelo outro lad (só pra não incomodar, não que eu tenha medo daqueles olhos vermelhos e presas do tamanho de dedos médios O_o). Mas já vi que você é profissa e tem experiência , então, da próxima vez que eu topar com um deles. eu te chamo.

    • Fábio Coala disse:

      Me inclua fora dessa!

    • Preto Pobre disse:

      Não ter medo de um animal que tem 13 tetas? Cada vez mais acredito que essa coisa fugiu da corrente do capeta…

    • Marechal disse:

      PP, é que nem a frase da barata “Não é medo, é nojo” que eu digo: não tenho medo de saruê, tenho respeito pela cria de Mordor (não foi um golpe de eslada que arrancou os dedos e o Um Anel de Sauron, foi uma dentada deste bicho)

  • Jú Lins disse:

    Que medinho é esse rapaz, ele é um marsupial igual a você :p

    E aí,você não ficou fedido não? porque o pior deles não é nem a mordida ou o arranhão, é a ‘nhaca’ que esses cassacos/timbús/saruês/Gambá-de-orelha-preta soltam (passei 23 ano da minha vida morando no interior do interior [tá, era no meio do mato mesmo], e lá a gente matava [já eu com pena, espantava de casa] esses bichos na mão -literalmente-, outros caçavam pra comer -eca-) e tipo, o fedor que ficava impregnado em tudo depois…nem Jesus na causa pra dar jeito.

  • Cristiano disse:

    Gente vcs não entenderam a tirinha é uma metáfora. O Saruê sendo um marsupial esta nada mais nada menos representando um parente distante do Coala, e na tinha o Coala quer dizer, que assim como a maioria das pessoas, tem graves problemas com seus familiares! Né não Coala? rs

    Esses cachorros eram covardes, um gamba entrou no meu quintal e minha Husky (Tequila) acabou com o bixinho. A sorte dele é que se fingiu de morto, e meu pai o jogou fora antes que ela terminasse o serviço.

    No outro dia, meu pai foi jogar o bixo longe de casa, e para sua surpresa tinha ido embora. Kkkk

    Tequila não perdoa nada, gamba, calango, morcego. Uma vez um passarinho deu mole de pousar na janela enquanto ela tava deitada na cama, kkkk pobre bixo, até hoje não sabe o que o matou kkk.

  • Marcos Nonato disse:

    Eu ri MUITO com essa história, e não só com o final, cada quadrinho foi engraçado. A empolgação do Coala, o medo dos cachorros, o medo do Coala, o vai lá do outro bombeiro e a piada final, tudo muito bom. hehehe 🙂

  • Bárbara disse:

    Ha! Na UnB é só o que tem =)
    Desde de que não provocados, até que eles se comportam direitinho…

  • Yukio disse:

    Coala, tem que ter uma mente empreendedora… já pensou em abrir uma empresa de “saruês de guarda”? pelo jeito seria bastante eficiente.

  • Luke Lima disse:

    Sério que esse bicho ae é bravo?

  • Carolina disse:

    Ah, Coala, fico encantada com as tirinhas dos Audazes! Deviam aparecer com mais frequencia! =’)

    Meu namorado passou esse ano pro bombeiro do RJ, mostrei todas as tiras anteriores pra ele e ele adorou!

  • Fernanda disse:

    Nossa vou das uma de “Preto Pobre” e contar um caso. Eu trabalhava na REPLAN (refinaria de Paulinía) numa obra. O canteiro de obras ficava num prédio velho da Petrobras, e o forro, sempre que chovia caia. Uma vez, chegamos numa quarta-feira, não tinha chovido, a sala trancada nenhuma porta ou janela aberta e várias pegadas de um “bichinho”. Como eu cheguei mais cedo, comecei as buscas pelo “Bichinho”, olhei nas botas de seguranças, nos armários, nos gaveteiros, exceto o de uma amiga minha que chegava mais tarde. Nada de encontrar o bichinho. Outro colega meu o Cabeção ainda comentou, só falta tá exatamente no gaveteiro da Dani.
    Quando ela chegou, nós avisamos do bichinho e ela respondeu “Imagina que vai tá no meu AAAAAAAAAAAAAAAAAA”
    É ele tava no gaveteiro, o Saruê, Gambá sei lá, só sei que ela correu tanto que derrubou o Cabeção, que além da cabeça gigante era um cara de uns 2m e mais de 100kg. Eu tive um ataque de riso, pq o bichinho nem se mexia. Tivemos que chamar a equipe de meio ambiente para resgatar o bicho, além, é claro, da equipe de saúde para resgatar a guria que quase morreu.

  • Ateu, e daí? disse:

    Fui procurar esse bichinho no google e descobri que é um tipo de gambá.

    Mas é bonitinho o desgramado. Não dá nem pra acreditar que um bicho fofinho desse possa dar um rage desse tipo…

  • Ana Cláudia Marques disse:

    Bem lembrado, Coala. O monstrinho bichinho daria um perfeito cão de guarda.

  • Fex disse:

    Quando eu era criança pequena lá em Itaú, eu vi um cara tentando matar um saruê. Ele era um tipo da roça e estava armado de uma enxada.

    Eu era bem novo, mas achei aquela cena uma sacanagem, porque ele já tinha conseguido tirar o bicho de dentro de casa, e mesmo assim continuava dando enxadadas nele. Ou, melhor dizendo, tentando, porque o bichinho, apesar de machucado, tava dando luta.

    A coisa acabou quando, numa das enxadadas, o saruê conseguiu agarrar-se na enxada. Quando ele puxou a dita, o bicho subiu junto e, no meio daquele movimento, caiu no ombro do sujeito. Ele deu uns gritos e, quase imediatamente, derrubou o saruê, que caiu no chão silvando. Mas depois dessa, ele parou de bater no bicho e entrou na casa. O saruê correu meio mancando pra um terreno baldio cheio de mato próximo.

    No meu entender, nessa briga, deu saruê.

  • Bezanga disse:

    Hahahahahaha, não acredito que você fez essa piadinha com o dono dos cachorros! Mandou bem! =)

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*